Uma fala enfática da pesquisadora Natália Pasternak, bióloga e doutora em microbiologia pela USP, durante uma entrevista, mostra que a defesa da cloroquina pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) precisa ser investigada. E pode até ser caso de impeachment.

 (foto karl withakay – wiki )
Natalia Pasternak Taschner (foto karl withakay – wiki )

O remédio foi produzido pelo Exército em grande quantidade a pedido do governo e não há qualquer evidência de que faça qualquer efeito contra a Covid-19. Pelo contrário, pesquisas recentes indicam que é até pior.

Com uma série de argumentos científicos e embasados, a pesquisadora desmonta a farsa da cloroquina diante de médicos bolsonaristas, que defendem o uso.

E, ao final, a pesquisadora questiona a decisão de fazer gastos com a produção do medicamento no Brasil.

Durante a pandemia de Covid-19, ela já sofreu ataques de ódio por combater a desinformação promovida por Jair Bolsonaro, que alegava uma possível cura da doença pela cloroquina.

Cientista estão abandonando a cloroquina e apostando em novas estratégias contra o coronavírus. Uma delas o o uso de medicamentos anticoagulantes, como a heparina.


Veja trecho da entrevista:



Carta Campinas

(continua depois desta inserção)


Comentário(s)

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem