José Carlos Dias diz que ministro abusou de suas funções ao usar uma lei da ditadura militar contra um político de oposição

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Por Clara Averbuck
Ao dar a ordem para que a Polícia Federal usasse a Lei de Segurança Nacional Lula aumentou usando como pretexto a declaração do ex-presidente de que “Bolsonaro governa para milicianos” parece ter aumentado o desgaste do ministro Sergio Moro na comunidade jurídica.

Ministro da Justiça no governo FH, o advogado José Carlos Dias, considera o pedido de abertura de inquérito como “um absurdo”.

— É mais uma do Moro usando o cargo para fazer política — criticou ele, que considera que o ministro abusou de suas funções ao usar uma lei da ditadura militar contra um político de oposição.

— É um absurdo um ministro da Justiça fazer isso. A Lei de Segurança Nacional nem deveria mais ser usada — disse o ex-Ministro.

A fala de Lula que está causando esse alvoroço foi: “Tem gente que fala que tem de derrubar o Bolsonaro. Tem gente que fala em impeachment. Veja, o cidadão foi eleito. Democraticamente, aceitamos o resultado da eleição. Esse cara tem um mandato de quatro anos. Mas ele foi eleito para governar para o povo brasileiro, e não para governar para os milicianos do Rio de Janeiro”.

Por determinação de Moro, Lula foi ouvido na Polícia Federal na manhã desta quarta (20).


Revista Fórum

full-width

Comentário(s)

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem
******************

Assine nossa Newsletter Agora