Artistas farão cortejo na manhã deste sábado (14), para protestar contra a repressão à arte e à liberdade de expressão

Brasil de Fato | Curitiba (PR)


A programação do dia encerrou com a apresentação para o público da Vigília do espetáculo "Andarilhos de Cordel" / Vanessa Vzorek


Começou nesta sexta-feira (13) o IV Encontro da Rede Paranaense de Teatro de Rua, na Vigília Lula Livre, em Curitiba. Cerca de 30 artistas de Curitiba, Londrina e Maringá se reuniram em plenárias no Espaço Marielle Vive de Formação e Cultura, para debater sobre políticas públicas e demandas de trabalhar com artes nas ruas.


A programação do dia encerrou com a apresentação para o público da Vigília do espetáculo "Andarilhos de Cordel", da Cia Pedras, de Maringá. Durante a peça, o candidato à presidência da república Fernando Haddad visitou o local e interagiu com os participantes.

Neste sábado, às 10h, os artistas farão um cortejo saindo da Praça Santos Andrade, que seguirá pela Rua XV de Novembro até a Boca Maldita. A ação tem como objetivo protestar contra a repressão sofrida pelos trabalhadores da arte de rua, que têm se intensificado durante a gestão de Rafael Greca à frente da prefeitura de Curitiba. O cortejo também pretende chamar a atenção da população da cidade para a importância da arte na rua, por ser uma forma de acesso gratuito à cultura e a integração entre diferentes públicos. O evento segue até a próxima segunda, com plenárias, apresentações e intervenções pela cidade.

O que é a Rede? 

A Rede Paranaense de Teatro de Rua faz parte da Rede Brasileira de Teatro de Rua, uma organização horizontal, inclusiva e não hierárquica, que, desde 2007, luta por políticas públicas culturais, em âmbito municipal, estadual e federal; ampliando reflexões e possibilidades para o teatro de rua, com encontros, movimentos e ações artísticas e políticas por todo o Brasil.

Edição: Laís Melo


Brasil de Fato

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem