Ministros cantam o Hino Nacional na cerimônia de hasteamento da Bandeira em frente ao Alvorada - Foto Orlando Brito

A primeira parada ninguém esquece, e o governo Bolsonaro está tentando transformar o desfile de Sete de Setembro deste ano num grande evento. A ponto de constranger os ministros de Estado a cantar o Hino Nacional para vídeos e comerciais de divulgação da data.


Apesar do desconforto dos mais desafinados, e das tentativas de escapar com desculpas esfarrapadas como dor de garganta ou excesso de compromissos, nenhum integrante do primeiro escalão teve coragem de se negar abertamente a participar desse The Voice patriótico. A Secom está percorrendo a Esplanada para fazer as gravações. Diante disso, não é preciso dizer que todos estão mais do que convocados – obrigados – a comparecer no próximo sábado ao desfile na Esplanada, que será pela primeira vez comandado por Jair Bolsonaro.

Bolsonaro e o vice Mourão com os comandantes militares do Quartel-General do Exército, em Brasília – Foto Orlando Brito

O capitão receberá continência dos generais e, como é da tradição, autorizará o comandante militar do Planalto a abrir o desfile. Há grande curiosidade em relação à primeira parada militar do governo mais militarizado desde a redemocratização. Será mais longa? Mais garbosa? Nos últimos anos, o desfile durava de uma hora e meia a duas horas, e os presidentes civis e seus ministros costumavam dar sinais de cansaço em seus palanques, debaixo do calor e da seca inclemente dessa época em Brasília.

Um outro elemento frequente nas paradas do Dia da Independência são as vaias. Por mais que se cerque a Esplanada e distribua convites para encher os palanques e arquibancadas próximos ao do presidente só com gente amiga e aliados políticos, sempre escapa um apupo. No caso de um presidente que com apenas oito meses de governo já perdeu tanta gordura em popularidade, é grande a preocupação dos palacianos.


Os Divergentes

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem