Grupo de mídia sueco faz experiência social para mostrar que só jornalismo de qualidade ajuda a combater desinformação e fake news


Para lançar luz sobre o crescimento do preconceito e da polarização que ele cria, um grupo de mídia sueco propôs um desafio à população: Ficar em uma vitrine e receber rótulos de quem passava pela rua.


Os voluntários sentavam-se em cadeiras, sozinhos, atrás de uma vidraça de loja.

Os pedestres eram convidados a responder uma série de perguntas sobre a pessoa na vitrine. Tudo sem saber absolutamente nada sobre ela, exceto sua aparência.

Crédito: Reprodução/YouTubePara expor preconceito, voluntários foram colocados em vitrines

As respostas eram projetadas na vitrine e exibidas online. E incluíram desde pervertido e vagabunda até estúpido e terrorista.


Crédito: Reprodução/YouTubePedestres foram convidados a responder questionário sobre a pessoa que estava na vitrine

A experiência foi uma forma de chamar a atenção para algo comum, mas pouco notado no dia a dia: julgamentos e preconceitos.

Quem estava na vitrine sentiu o que era passar pelo crivo que quem não sabia nada a seu respeito. E quem respondeu ao questionário vivenciou como pode ser fácil julgar sem conhecer a pessoa.


Crédito: Reprodução/YouTubeExperiência social evidencia preconceito

Contra o preconceito


São os julgamentos e os preconceitos os componentes que ajudam a causar mal-entendidos e segregações. É, como diz o filme, o que faz com que nos dividamos entre “nós” e “eles”.

A mensagem do grupo de mídia Stampen Media e da agência Stendahls é em prol de um jornalismo de qualidade. Só ele tem o poder de combater fake news, notícias rápidas e “filter bubble”, um estado de isolamento intelectual que pode resultar de buscas personalizadas, devido aos algoritmos usados em ferramentas de pesquisa.

Com fatos e conhecimento, o jornalismo ajuda a acabar com preconceitos, apregoa a campanha.

A experiência social “Visible Thoughts” (pensamentos visíveis) foi gravada na cidade sueca de Gothenburg. No total, 6.000 pessoas participaram da iniciativa.






Catraca Livre

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem