© REUTERS / Paulo Whitaker

O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva escreveu várias mensagens no Twitter nesta quarta-feira contra a administração do atual presidente Jair Bolsonaro, que ele descreveu como "governo de traidores" e "entreguistass" que "não sabem e não querem defender" a Amazônia.


"Hoje o país está sendo destruído por um governo de traidores [...] As empresas, os bancos públicos, o petróleo, os minerais e o patrimônio que não lhes pertencem, mas sim ao povo brasileiro", atacou Lula em uma série de 25 tweets para cumprimentar seus seguidores.


As mensagens publicadas pelo ex-presidente, preso desde 7 de abril de 2018 em Curitiba, foram para saudar os participantes de um seminário "em defesa da soberania nacional e popular", realizado na Câmara dos Deputados e do qual a ex-presidente Dilma Rousseff também participou.

"Até a Amazônia está ameaçada por um governo que não a conhece e não quer defendê-la; isso incentiva o desmatamento, não protege a biodiversidade ou a população que depende da floresta viva", afirmou Lula, alertando que "o mercado não protegerá um dos maiores territórios do mundo, o subsolo e a plataforma continental; a Amazônia, Cerrado, Pantanal".

O ex-presidente destacou a criação das empresas estatais Petrobras, Eletrobras, BNDES e grandes empresas siderúrgicas, entre outras, e lamentou que "o que foi construído com o esforço de gerações esteja ameaçado a desaparecer ou ser privatizado em detrimento do país, como fizeram com Telebras, Vale, CSN, Usiminas, a rede ferroviária, Embraer".

Petrobras


Para a companhia estatal de petróleo, ele dedicou um espaço especial em seu discurso para denunciar que "está sendo vendido em pedaços para seus concorrentes estrangeiros" e que as autoridades "reduzem a produção de combustíveis aqui para importar em dólares dos Estados Unidos e é por isso que os preços do combustível e do gás disparam para as pessoas".

© AP PHOTO / EVAN VUCCI
Bolsonaro e Trump na Casa Branca.

"Bolsonaro entregou nossa política externa aos EUA, deu, em troca de nada, a Base de Alcântara, uma posição privilegiada onde poderíamos desenvolver um projeto aeroespacial brasileiro [...] Reduziu a diplomacia a uma questão familiar e assessores que dizem que a terra é plana", ironizou Lula antes de dizer que Bolsonaro "mudou nossas conquistas na OMC pela ilusão da OCDE, o clube dos ricos que o desprezam" e que "anunciou um acordo com a União Europeia, sem pesar vantagens e perdas, e agora entram em guerra com os europeus para seguir o jogo de [Donald] Trump".

Ele também disse que "nenhum país nasce grande, mas nenhum país cumprirá seu destino se não construir seu próprio futuro" e instou o povo brasileiro a "seguir seu próprio caminho antes que seja tarde demais para salvar o futuro".

O líder do Partido dos Trabalhadores (PT) cumpre pena de 8 anos e 10 meses de prisão por seu envolvimento na Operação Lava Jato, iniciada em 2014 para investigar subornos pagos por grandes empresas de construção à empresa petrolífera Petrobras, a fim de obter contratos de obras públicas.

Como parte dessas investigações, o juiz Sérgio Moro (agora ministro da Justiça e Segurança) condenou em 2018 a mais de 12 anos de prisão a Lula, acusando-o de receber um apartamento no Guarujá (SP) como propina. A sentença impediu o ex-presidente de participar das eleições do mesmo ano, nas quais as pesquisas lhe apontavam como favorito.




Sputnik Brasil

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem