"Esse governo foi eleito para rifar o Brasil até a sua última gota de riqueza. Bolsonaro vai deixar queimar a Amazônia e de brinde destruirá o agronegócio do Brasil que sofrerá pesados embargos devido à sua gestão ambiental selvagem", diz o historiador Carlos d'Incao. "Bolsonaro não é louco, é apenas o maior entreguista da história do Brasil e, por essa razão, o maior traidor que já houve em nossa pátria



Não sei se trata-se de falar o óbvio, mas como pouco ou quase nada tenho lido ou ouvido a respeito, me sinto no dever de dizer:

A queimada que toma conta da Amazônia é intencional, promovida pelo descaso do governo Bolsonaro e que tem um só objetivo: “Queimar para entregar”. Um slogan bem diferente dos antigos militares, cujo lema era “Ocupar para não entregar”.

Esse governo não tem quase nada a ver com aqueles do regime militar. Ele é apenas o subproduto de seus mais pérfidos porões. Bolsonaro afiançou ao imperialismo todas as nossas estatais, nossas riquezas naturais, nossa base militar de Alcântara e... agora... deixa a Amazônia queimar para que a mesma seja entregue aos estrangeiros...

Quando Bolsonaro afirma que a Amazônia é nossa, que o primeiro mundo deve se preocupar com as florestas que ele já devastou entre outras bazófias, é apenas uma cortina de fumaça.

Esse governo foi eleito para rifar o Brasil até a sua última gota de riqueza. Bolsonaro vai deixar queimar a Amazônia e de brinde destruirá o agronegócio do Brasil que sofrerá pesados embargos devido à sua gestão ambiental selvagem.

Quem ainda não percebeu que acorde. Ou alguém realmente esperava algo diferente desse governo? Bolsonaro não é louco, é apenas o maior entreguista da história do Brasil e, por essa razão, o maior traidor que já houve em nossa pátria.





Brasil 247

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem