O Ministério Público Federal deu 10 dias para receber a resposta aos questionamentos.


Tatiana Farah
Repórter do BuzzFeed News, Brasil
O Ministério Público Federal questionou os ministérios do Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia a respeito das declarações recentes do governo sobre a exatidão dos dados produzidos pelo INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) relativas ao desmatamento no Brasil.

Ueslei Marcelino / Reuters
O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles

Em 2 de agosto, o presidente Jair Bolsonaro demitiu o diretor do instituto, depois de fortes críticas aos dados de desmatamento divulgado com regularidade pelo INPE. Bolsonaro disse, em julho, que esses dados não poderiam ter sido divulgados sem a análise prévia do governo, pois poderiam comprometer a imagem do Brasil no exterior. "Tenho a convicção que os dados são mentirosos", disse Bolsonaro, e afirmou que o então diretor do INPE, Ricardo Galvão, que seria exonerado, parecia estar "a serviço de alguma ONG".

Adriano Machado / Reuters
O presidente Jair Bolsonaro

O procurador da República Luís Eduardo Marrocos de Araújo, da 4ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal (Meio Ambiente), deu 10 dias para os ministérios e a nova direção do INPE responderem aos questionamentos. Segundo o MPF, o governo terá de apresentar a justificativa para ter colocado em xeque a fidedignidade dos dados oficiais sobre desmatamento.

O requerimento consiste de três perguntas. Caso reafirme suas críticas, o governo é instado a responder: “em que consistem tais fatos (os erros); em que períodos tais fatos afetaram os referidos sistemas de monitoramento; qual o alcance das distorções provocadas por tais intercorrências e quais medidas estão sendo ou serão adotadas, a fim de se restaurar a fidedignidade dos mencionados sistemas de monitoramento”.


BuzzFeed Brasil

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem