Se houvesse um jeito mais fantasioso e cinematográfico de encontrar um diamante, seria o de Miranda Hollingshead.

A americana de 27 anos estava visitando o Parque Estadual Cratera de Diamantes em Arkansas, nos EUA, com seu filho, quando sentou-se em uma sombra para assistir um vídeo na plataforma YouTube sobre como encontrar diamantes.

Pois bem: neste exato momento, ela viu um diamante brilhar no sol nas suas proximidades. E era uma peça de quase 4 quilates, a maior já encontrada no parque este ano.

Parque Estadual “Crater of Diamonds”


Se você gostaria de participar de uma caça a diamantes, o parque de Arkansas é o lugar ideal para você visitar. Dezenas de milhares de diamantes já foram encontrados no local ao longo do último século – 320 só este ano, sendo que 13 deles pesavam pelo menos um quilate. Combinados, os diamantes somam 63,49 quilates.

De acordo com o website do parque, ele é “um dos únicos lugares no mundo onde o público pode procurar diamantes reais em sua fonte vulcânica original”. Visitantes podem vasculhar a superfície erodida de uma cratera vulcânica em busca de uma variedade de rochas, minerais e pedras preciosas – e achado não é roubado. Você pode ficar com o que encontrar.

Claro, não é exatamente chegar lá e sair pegando pedrinhas superbrilhantes espalhadas pelo chão. O parque tem 37,5 acres, de forma que realmente é uma boa ideia assistir algum vídeo instrutivo sobre como descobrir diamantes.

Não que você terá a mesma sorte de Miranda. Ela disse ao Gizmodo que estava “sentada na sombra, assistindo ao vídeo” quando avistou a imensa pedra preciosa de 3,72 quilates, observando que “olhou para seu filho por um segundo e, quando olhou para baixo, viu [o diamante] misturado com outras pedras”.

Bendita chuva


Um dos funcionários do parque, Waymon Cox, explicou que o diamante tem uma cor amarela clara e é mais ou menos do tamanho de uma borracha de lápis (tamanho de fato não é documento, pois ele provavelmente vale dezenas de milhares de dólares).


A preciosidade foi descoberta como resultado de chuvas recentes. “A maior parte do solo onde Hollingshead encontrou seu diamante é feita de rocha vulcânica não tratada. Quando chove, o fluxo de escoamento geralmente deixa cascalho solto e, às vezes, diamantes na superfície dessas áreas. Os diamantes têm um brilho que os torna fáceis de identificar, e Hollingshead estava sentada no lugar certo para vê-lo brilhar ao sol”, disse Cox em um comunicado. [Gizmodo, ArkansasStateParks]




Hypescience

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem