O site The Intercept Brasil, neste domingo (25), divulgou a lista dos intocáveis no âmbito da Lava Jato: os bancos, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), o senador Alvaro Dias (PODE) e o chefe da Casa Civil Onyx Lorenzoni (DEM).

O site fundado pelo jornalista Glenn Greenwald denuncia que somente alguns políticos e setores econômicos contaram com a leniência dos procuradores, isto é, a prevaricação da força-tarefa sediada em Curitiba.

O crime de prevaricação é tipificado pelo art. 319 do Código Penal, que prevê de 3 meses a um ano de prisão.

As conversas privadas dos procuradores e do ex-juiz Sérgio Moro, divulgadas pela série Vaza Jato, deixam clara a obsessão para tirar Lula da disputa de 2018 e de livrar o aliado FHC de investigações, mas, segundo as mensagens, o tucano era “apoio importante” que não podia ser constrangido.

Quanto aos bancos, relata o Intercept, os procuradores de Curitiba torceram o nariz para o esquema envolvendo o Bradesco, que faturava alto com a corrupção de doleiro com a leniência da Lava Jato. A reportagem foi publicada pelo El País.

“Sabendo que o Bradesco lucrava calado com a corrupção do doleiro, o que a Lava Jato fez? Nada também. O banco saiu impune”, destaca o Intercept, que contou 32 citações do Bradesco e 71 do banco Safra na delação do ex-ministro Antonio Palocci.

O Intercept conta ainda que Alvaro Dias, envolvido em dois casos de propinas, foi aliviado pelo então juiz Moro e por procuradores que não quiseram procurar nada em relação ao senador paranaense. Aliás, o parlamentar chegou a convidar Deltan Dallagnol para ser candidato a Senador pelo Podemos.

Para fechar o repolho, a reportagem do site cita o escandaloso caso do ministro Paulo Guedes. O moço que quer doar as empresas públicas transferiu bufunfa para um escritório de lobby em Curitiba. No entanto, o então coordenador da campanha de Jair Bolsonaro (PSL) foi blindado e, pasme, foi o próprio Guedes quem convidou Moro para ser ministro da Justiça.


Blog do Esmael

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem