No início do ano, a Ford, uma das principais fábricas de automóveis do mundo, anunciou que encerraria suas atividades na cidade de São Bernardo do Campo, em São Paulo. O anúncio veio como uma bomba: para os operários, significaria milhares de demissões, para a burguesia, uma constatação de o então recém-empossado governo Bolsonaro não havia conquistado a confiança dos capitalistas para manterem suas atividades no país.

A Ford, no entanto, não foi a única empresa que decidiu fechar suas portas durante o governo Bolsonaro. A General Motors, um dos maiores monopólios do mundo, vem chantageando o governo há meses, ameaçando deixar o país se as condições não forem favoráveis para a empresa – aprovação da reforma da Previdência, aprofundamento da reforma trabalhista etc. Em 15 de abril, a tradicional fábrica de biscoitos Mabel encerrou suas atividades na cidade de Três Lagoas (MG), após 21 anos no local. No dia 14 de maio, a Pirelli fechou a fábrica de Gravataí (RS), onde a empresa estava havia mais de quatro décadas.

Somente no mês de agosto, duas empresas anunciaram mudanças no sul do estado da Bahia. A Nestlé decidiu transferir sua fábrica de Itabuna para a cidade de Feira de Santana. Os trabalhadores terão, com isso, de mudar de cidade, embora tenham contraído dívidas para se estabelecer no local onde trabalhavam. A Pênalti, por sua vez, anunciou que demitirá 100 funcionários de sua unidade em Itabuna.

A destruição da economia provocada pelo governo dos golpistas Michel Temer e Jair Bolsonaro está levando a uma falência geral no país. Mesmo esfolando os trabalhadores a mando do imperialismo, a burguesia não conseguiu estabilizar a economia, tornando o país hostil aos interesses dos capitalistas, que, na atual etapa do capitalismo, precisam maximizar seus lucros para não serem rapidamente dizimados pela crise.

O fechamento das fábricas, por sua vez, só agrava a situação do Brasil. O desenvolvimento nacional fica ainda mais comprometido e o desemprego se alastra. Por isso é necessário ter um programa de reivindicações para a classe operária que mobilize todos os setores atingidos pelo golpe para obrigar os capitalistas a arcarem com o ônus da crise que eles mesmos criaram. Pela redução da jornada de trabalho! Fora Bolsonaro e todos os golpistas!


Diário Causa Operária

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem