Reunindo 200 lideranças de todo o país, o IV Encontro Nacional dos Estudantes Secundaristas do Paraguai, realizado sábado (24) após uma longa jornada de debates, fez um contundente pronunciamento contra o entreguismo e a corrupção do governo de Mario Abdo Benítez, flagrado em relação promíscua com um empresário, representante do governo de Jair Bolsonaro.


Por Leonardo Wexell Severo, da Hora do Povo
Foto: Leonardo Wexel Severo
"Com os acordos secretos com o governo Bolsonaro sobre Itaipu, o presidente Abdo retoma práticas da ditadura de Stroessner, para favorecer interesses privados", afirma Alejandra Orrego, - foto FENAES
Conforme denunciado por um integrante do próprio governo paraguaio, a negociata com o empresário, suplente de senador do PSL de São Paulo, prejudicaria o país em mais de US$ 200 milhões até 2023. “Os acordos secretos de Mario Abdo com Bolsonaro em relação a Itaipu retomam práticas da ditadura de Alfredo Stroessner (1954-1989), atando os pés e as mãos paraguaias para favorecer interesses privados“, denunciou Alejandra Orrego, coordenadora executiva da Federação Nacional dos Estudantes Secundaristas (Fenaes), convocando uma nova manifestação para Assunção, na próxima sexta-feira, em frente aos ministérios da Educação e da Fazenda. Em entrevista exclusiva, Alejandra enfatizou que a juventude paraguaia vai às ruas para “defender a educação e a Pátria dos entreguistas”

O que representa para vocês esta submissão do presidente Mario Abdo Benítez ao governo Bolsonaro?

Há uma compreensão comum de que este é um retrocesso absurdo, inadmissível, que não pode ser tolerado, pois limita nossos direitos e atenta contra nossa soberania. Com os acordos secretos com o governo Bolsonaro em relação a Itaipu, o presidente Mario Abdo Benítez retoma práticas da ditadura de Stroessner, atando os pés e as mãos paraguaias para favorecer interesses privados. Vamos convocar todos os estudantes do país a defender Itaipu como uma causa nacional, exigindo participação de toda a sociedade e completa transparência no processo de renegociação do tratado.

Alejandra Orrego, coordenadora executiva da Federação Nacional dos Estudantes Secundaristas (Fenaes) – foto LWS

Movidos por este sentimento, os protestos contra a ata secreta iniciaram pelos estudantes…

Os estudantes universitários, que começaram a onda de protestos, deixaram claro que não seríamos submetidos pela política de susto e medo implementada pelo governo. Vale lembrar que um companheiro, Fabricio Núñez Vergara, foi levado a uma cela, a um calabouço e golpeado covardemente pelas autoridades. A sangrenta repressão serviu de estopim para que as mobilizações se espraiassem rapidamente por todo o país. Nós tomamos o Colégio Nacional, o presidente Franco, fechamos tudo, movidos pela compreensão de que é hora da educação, é hora da Pátria. Temos a convicção de que é preciso defender nosso país dos entreguistas, utilizar nossas riquezas para fortalecer o ensino público, para nos desenvolver.

As manifestações massivas serviram para despertar a consciência nacional sobre práticas que atentam contra a democracia.

Fomos às ruas como medida para demonstrar o rechaço a este tratado secreto de um governo que, numa suposta democracia, repete as mesmas práticas da época ditatorial. Há um profundo desgosto, uma rejeição a Mario Abdo, que também demonstra sua completa incapacidade e descompromisso no campo educacional.

Os problemas também se revelam na educação?

De forma clara e profunda. Necessitamos mais investimentos, maior infraestrutura, precisamos valorizar o ensino técnico, que vem sendo completamente abandonado. Desde o começo do ano, e já estamos no final de agosto, há escolas que não tiveram aulas, pois se encontram sem professores, com carência alimentar, com desrespeito aos investimentos determinados pela própria Constituição. A falta de docentes continua afetando mais de 50 mil estudantes. A superlotação é uma triste realidade, havendo salas com até 50 colegas. Por isso tomaremos as ruas novamente para, com patriotismo, virar esse jogo. 
 Fonte: Hora do Povo

    Portal Vermelho

    Faça um comentário

    -Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
    -São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
    -São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
    -É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
    -Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
    -Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
    -Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

    Postagem Anterior Próxima Postagem