De acordo com pesquisa CNT/MDA, divulgada nesta segunda-feira (26), 93,5% dos entrevistados consideram a preservação do meio ambiente muito importante, outros 5,5% acham pouco importante. Apenas 0,5% não acredita ser importante conservar a natureza. Os números refletem o aumento de 19% para 39,5% da avaliação negativa do governo Jair Bolsonaro


(Foto: PR | Victor Moriyama/Greenpeace)

247 - O desprezo pelo meio ambiente corroeu a popularidade de Jair Bolsonaro, que já vinha baixa. De acordo com pesquisa CNT/MDA, divulgada nesta segunda-feira (26), 93,5% dos entrevistados consideram a preservação do meio ambiente muito importante, outros 5,5% acham pouco importante o tema. Apenas 0,5% não acredita ser importante conservar a natureza.

Os números refletem diretamente no aumento de 19% para 39,5% da avaliação negativa do governo Jair Bolsonaro. O levantamento foi feito em agosto, quando as notícias dos incêndios na Amazônia ultrapassaram as fronteiras. A avaliação pessoal dele recuou de 57,5% para 41%, e a desaprovação foi de 28,2% para 53,7% entre fevereiro e agosto.

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) havia alertado que a destruição em junho cresceu 88% e em julho 278% na comparação com iguais períodos de 2018. Por causa da destruição acelarada da Amazônia, a Alemanha anunciou a suspensão de quase R$ 155 milhões destinados a projetos de preservação ambiental no Brasil e a Noruega anunciou o bloqueio de cerca de R$ 133 milhões.

O desmatamento também pode gerar sérios prejuízos econômico por causa de eventuais boicotes a produtos brasileiros. Questionado pelo Valor se "é questão de tempo que parem de comprar do Brasil", o presidente da Abag, Marcello Brito, foi taxativo: "É questão de tempo".

Foram realizadas 2.002 entrevistas, entre os dias 22 e 25 de agosto, em 137 municípios de 25 Unidades da Federação. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.




Brasil 247

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem