Ativistas em frente ao consulado brasileiro em Cali, Colômiba. Foto: Luis Robayo - AFP

Algo inédito na história do país, as embaixadas brasileiras foram alvos de manifestações em várias cidades do mundo na sexta-feira (23) contra o descaso e a política hostil de Bolsonaro ao meio ambiente.

Manifestantes na embaixada do Brasil em Londres. Foto: Guy Smallman – Getty Images

Manifestações contra os incêndios na Amazônia foram realizadas em frente às embaixadas e consulados brasileiros em Londres (Inglaterra), Berlim (Alemanha), Paris (França), Mumbai (Índia), Berna (Suíça), Amsterdã (Holanda), Dublin (Irlanda), Madri e Barcelona (Espanha), Luxemburgo e muitas outras, na sexta-feira (23).

Os manifestantes passaram a tarde da sexta com cartazes e palavras de ordem contra os incêndios. Parte das manifestações foi organizada pela Extinction Rebellion, movimento ambientalista criado no final de 2018 para lutar contra a falta de ação diante do descaso com o clima.

Em frente ao consulado brasileiro na Flórida, EUA. Foto: Joe Raedle – Getty Images

Um dos cartazes em frente ao consulado brasileiro em Madri dizia: “Bolsonaro, criminoso ambiental”. “Nossos pulmões estão queimando”, estava escrito um cartaz de manifestante na frente da embaixada brasileira em Nicósia, no Chipre. “Bolsonaro, a Colômbia diz NÃO à queima da Amazônia”, cartaz escrito por uma ativista em frente ao consulado do Brasil em Cali.

Em Londres, centenas e manifestantes em frente à embaixada brasileira gritaram “Salvem a Amazônia” e “Fora, Bolsonaro”. “É verdade que preferem hambúrguer a oxigênio?”, questionava um cartaz exibido por um manifestante.

“Vimos as imagens horríveis (da floresta em chamas) e queremos fazer algo em solidariedade para com o povo do Brasil. Também temos filhos e gostaríamos que crescessem num mundo que tem seus pulmões”, declarou Luisa Brown, professora de inglês de 36 anos.

Protesto no consulado brasileiro em Mumbai, Índia. Foto: Indranil Mukherjee – AFP

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), os incêndios na região cresceram 82% no primeiro semestre de 2019 em relação ao ano anterior.

“É o Donald Trump brasileiro, tudo que interessa a ele é o lucro, o dinheiro”, protestou Graham Cox, de 57 anos. Ele contou que se aliou ao Extinction Rebellion, porque, em 35 anos de ativismo ambiental, assinou todas as petições “e não viu nada mudar”.

O descaso de Bolsonaro em relação a essa tragédia ambiental, que chegou a falar que os incêndios eram causados por ONGs internacionais que querem queimar sua imagem, irradiou a indignação internacional.

Na sexta-feira (23), milhares também tomaram as ruas de cidades do Brasil, como São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Brasília, para se manifestar contra o desmatamento.




Hora do Povo

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem