Por José Carlos Ruy
Num duplo ataque contra os brasileiros, o governo do direitista Jair Bolsonaro usou - informa a a agência UOL- verbas que eram destinadas ao Mais Médicos para comprar votos a favor da reacionária reforma da Previdência.

Para aprovar este projeto que na prática destrói a aposentadoria e a Previdência Social, remanejou verbas do já enfraquecido programa Mais Médicos, em desprestígio desde o golpe que, em maio de 2016, levou os conservadores ao governo, na época com o usurpador Michel Temer.

Jair Bolsonaro usou, diz a notícia, recursos que restavam ao atendimento da saúde, privando a população mais pobre de assistência médica, para negar o direito à aposentadoria do povo. A notícia é um escândalo.

A reportagem "Antes de votação da Previdência, governo dá verba do Mais Médicos a emendas", de autoria de Bernardo Barbosa (publicada pela UOL nesta sexta-feira, 12) revela que o governo de direita remanejou R$ 1,25 bilhão, que era destinado ao Mais Médicos, para outros programas da área de saúde que, por sua vez, receberam recursos por meio de emendas parlamentares liberadas em troca de votos a favor da nefasta reforma da Previdência.

"Todo o processo ocorreu nos dias que antecederam a aprovação do texto-base da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, na quarta (10), período em que o governo acelerou a liberação de emendas."

A compra de votos para a aprovação, pelo Congresso, de medidas do interesse do governo, além de imoral e indecente, é um crime. Neste caso, diz o deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP), que foi ministro da Saúde no governo da presidenta deposta Dilma Rousseff, o crime é contra saúde pública, e as vítimas estão entre 30 milhões a 32 milhões de pessoas que ficam "desassistidas pelo Mais Médicos".

O próprio ministro da Saúde de Jair Bolsonaro, Luiz Henrique Mandetta (DEM), reconheceu esse crime quando disse, à Folha de S. Paulo, que a liberação de emendas foi impulsionada pela proximidade da votação da reforma da Previdência.

Isto é, o governo faz a farra e transforma a Câmara dos Deputados num balcão de negócios em que a conta do desmando - a compra de votos a favor da prejudicial reforma da Previdência - é paga com recursos negados a um serviço público que atenderia o povo mais pobre, que fica sem aposentadoria e sem o atendimento do Mais Médicos. Este é o duplo crime cometido pelo governo.


Portal Vermelho

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem