Foto: Reprodução


O empresário Paulo Marinho, um dos principais financiadores de Jair Bolsonaro (PSL-RJ) à presidência, afirmou, em entrevista ao programa “Andreia Sadi em Foco”, exibido pela Globo News, nesta quarta-feira (17), que foram disparadas pela campanha vitoriosa fake news sem critério algum durante as eleições.

Marinho citou a colaboração de simpatizantes da campanha: “Tinham algumas peças muito bem feitas. A gente só não aproveitava isso na campanha, mas chegava, a gente mandava pra outros, a gente circulava aquilo. Não havia aquela limitação que hoje existe no WhatsApp, então a gente encaminhava 200, 300 pessoas”, afirmou o empresário.

Ao ser perguntado se mesmo sendo fake news eram enviadas, ele respondeu: “quando tinha alguma graça, a gente mandava, fake news a gente também mandava, enfim, como chegava a gente saia”, disse.

Veja as declarações do empresário abaixo, a partir do minuto 4:30:



Paulo Marinho disse ainda na mesma entrevista que o então candidato Jair Bolsonaro estaria eleito após sofrer atentado a faca durante campanha em Juiz de Fora (MG).

Ao ser indagado pela jornalista se o “atentado garantiu a vitória”, Marinho respondeu.

“Sem dúvida. Esta consciência foi do próprio capitão Bolsonaro na ocasião. A primeira visita que fiz a ele no hospital [Albert] Einstein, ele disse: olha, agora a gente não precisa fazer mais nada”.


Revista Fórum

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem