Bancada do PCdoB votou 100% ao lados dos trabalhadores Richard Silva/PCdoB na Câmara

No texto-base, a idade mínima era de 55 anos para as mulheres e 58 anos para homens. O destaque foi aprovado por 465 votos a 25.

O líder PDT na Câmara, deputado André Figueiredo (CE), considerou uma estratégia de redução de danos na PEC da perversidade contra os mais humildes. “Parabéns aos profissionais que fazem a educação do nosso país pela vitória!”, disse

A líder da Minoria na Câmara dos Deputados, Jandira Feghali (PCdoB-RJ), diz que era necessário valorizar quem faz educação, trabalha com conhecimento, saber, pluralidade, adversidade e formação com capacidade de pensar.

“Precisam da atenção deste parlamento para ao final de sua vida laboral terem uma vida qualificada. São pessoas fundamentais para a construção de uma sociedade plural, diversa, consciente e civilizada.”, disse.

“A aprovação da reforma da Previdência foi péssima para o país e não há o que comemorar. Mas o combate da oposição no parlamento e a mobilização social nas ruas conseguiu reduzir danos em temas importantes e até derrotar o governo em pontos, como impedir a aprovação do regime de capitalização e a desconstitucionalização, a redução do tempo de contribuição dos homens e redução da idade mínima para professores. Continuaremos mobilizados, lutando no Congresso e nas ruas contra o desgoverno Bolsonaro!”, argumentou o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP).

A deputada Alice Portugal (PCdoB-BA), que fez o encaminhamento da votação do destaque, fez alusão ao papel relevante na educação de Paulo Freire e Anísio Teixeira.

Ela também aproveitou para criticar duramente os partidos governistas. “Confirmando o nosso compromisso com os professores, aprovamos idade menor (...) Os partidos PSL e Novo votaram não à categoria. Inimigos da educação!”, protestou.

“Conseguimos amenizar danos impostos aos professores (...)Partido de Bolsonaro votou contra outros destaques que beneficiariam nossos educadores”, afirmou a presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR).

O deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ) houve muito esforço para se chegar ao resultado. “Batalhamos muito pra retirar os professores da reforma da previdência, mas não foi possível. Conseguimos diminuir o dano, reduzindo as idades. Seguiremos na luta no segundo turno”.

“Entre os retrocessos, mais uma vitória! Com luta e diálogo, conseguimos reduzir a idade para a aposentadoria de professores na regra de transição: 52 anos para mulheres e 55 anos para homens. É o nosso compromisso com a Educação brasileira, base para o desenvolvimento do Brasil!”, comemorou o líder da Oposição, Alessandro Molon (PSB-RJ).




Da redação




Portal Vermelho

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem