Como parte da agenda de luta unificada em defesa da aposentadoria, de uma educação pública de qualidade e por empregos, as centrais sindicais do país estão organizando um ato nacional nesta sexta-feira (12), em Brasília, em conjunto com a União Nacional dos Estudantes (Une), com concentração às 10 horas, no Museu Nacional. Os manifestantes deverão seguir em passeata pela Esplanada dos Ministérios.

A PEC 006/2019, da reforma da Previdência do governo de Jair Bolsonaro (PSL), que acaba com a aposentadoria, afetando a vida e o trabalho de milhões de trabalhadores, foi aprovada na madrugada desta quarta-feira (10), mas como altera a Constituição, precisa ser votada em dois turnos na Câmara Federal e depois segue para o Senado Federal, onde também precisa da maioria os votos dos senadores em dois turnos.

“Não podemos nos dar como vencidos, estamos no meio da batalha. É estudante junto com o trabalhador lutando pelos direitos da juventude e da classe trabalhadora”, disse o presidente da CUT Nacional, Vagner Freitas.

Segundo ele, esta sexta-feira será a continuação da luta contra a reforma da Previdência.

“A proposta de Bolsonaro ganhou no primeiro turno da Câmara, com a ajuda de parlamentares que só votaram pelos interesses pessoais, mas ainda temos a segunda votação e o Senado para reverter esta batalha”, acredita o presidente da CUT.

Brasília foi escolhida para ser palco do ato das entidades por ser sede da Câmara Federal que está votando a PEC 006/2019, da reforma da Previdência e também por ser a Capital, o local que a UNE está realizando o seu 57º Congresso Nacional (Conune).


Blog do Esmael

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem