Em Natal, policiais se concentraram na sede do Sinpol / Kennet Anderson / Brasil de Fato RN

Brasil de Fato | Natal (RN)
Policiais Civis, em todo o Brasil, realizaram uma paralisação nacional contra o projeto de Reforma da Previdência, do Governo Bolsonaro, durante esta quarta-feira (26). No Rio Grande do Norte, delegacias por todo o estado ficaram paradas por 24 horas, funcionando apenas as de plantão.

Só no município de Natal, cerca de 200 policiais se concentraram na sede do Sindicato dos Policiais Civis do RN (Sinpol/RN) e realizaram um ato nas ruas do bairro de Cidade Alta. Edilza Faustino, agente da polícia e vice-presidenta do Sinpol, afirma que atualmente estão sendo retirados uma série de direitos dos policiais civis, e a Reforma da Previdência é mais uma que pretende “destruir a polícia investigativa e a judiciária”.

“Nós, policiais civis do Rio Grande do Norte, não vamos admitir ficar de braços cruzados diante disso. Não estamos brigando por privilégios, estamos reivindicando justiça. Segurança pública sem dignidade não existe. Todos os dias estamos correndo os maiores riscos, além do estresse emocional. Ao invés de sermos honrados, reconhecidos e valorizados estamos sendo punidos”, ressalta.

A região do Alto Oeste potiguar também teve suas delegacias paralisadas durante o dia, com policiais se concentrando no município de Mossoró. Toda a paralisação teve caráter nacional e foi convocada pela Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol).

Edição: Marcos Barbosa




Brasil de Fato

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem