O Globo

Manchete: Senado aprova punição para abuso de autoridade de juiz
Projeto, parado na Casa desde 2017, foi incluído no pacote de dez medidas contra a corrupção
Medida desejada por parte do Congresso há três anos, mas que esbarrava na popularidade da Operação Lava-Jato, o projeto que prevê punição ao abuso de autoridade de juízes e integrantes do Ministério Público foi aprovado ontem no Senado. Com a veiculação das mensagens atribuídas ao ministro Moro e a procuradores, os senadores voltaram ao tema. O texto estava parado na Casa desde abril de 2017 e entrou na pauta da CCJ há duas semanas, apedido do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, para evitar uma CPI. O projeto foi aprovado no pacote das dez medidas contra a corrupção, que incluem criminalização do caixa dois e aumento de penas para corruptos. (Página 4)


Militar é preso na Espanha com cocaína levada em avião da FAB
Sargento da Aeronáutica fazia parte da equipe de apoio da viagem de Bolsonaro para G20

Manoel Silva Rodrigues foi detido no aeroporto de Sevilha com mala que transportava 39 quilos da droga. Ele era tripulante do voo da FAB que dá apoio à comitiva do presidente Bolsonaro para reunião do G20. Desde 2011, Rodrigues, que foi chamado de “mula qualificada” pelo vice Mourão, participa de viagens presidenciais. (Página 8)


Sem reforma, DF e 12 estados não resolvem déficit
Estudo revela que 12 estados e o Distrito Federal poderiam reduzir ao menos à metade o déficit previdenciário, ao longo de dez anos, se estados e municípios fossem incluídos na reforma da Previdência da União. Mato Grosso, Pará e o Distrito Federal poderiam até tornar superavitários seus regimes próprios. (Página 17)

Rede D’Or acerta a compra da Perinatal
A Rede D’Or São Luiz fechou a aquisição da maternidade Perinatal, que tem duas unidades no Rio e centros neonatais na Região Metropolitana. O negócio reforça o plano da empresa de diversificar sua atuação e dobrar o número de leitos hospitalares. Confirma, também, tendência de concentração do setor. (Página 20)

Míriam Leitão
Economia moderna não combina com atraso ambiental (Página 18)

Merval Pereira
Bolsonaro se isola, e candidatos já se mexem (Página 2)

------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Após desgaste de Moro, Senado toma crime abuso de autoridade
Proposta prevê punição a juízes que expressarem opinião sobre processo que ainda não foi julgado
Em apenas sete horas de discussões, o Senado aprovou ontem a criminalização do abuso de autoridade, projeto de lei que estava parado na Casa havia dois anos. A proposta prevê punição a juízes e a membros do Ministério Público em determinadas situações e a aprovação foi considerada uma reação ao vazamento de troca de mensagens atribuídas ao ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, e procuradores. Um dos pontos mais polêmicos é o item batizado como “lei da mordaça”. De acordo com ele, juízes não podem expressar, por qualquer meio de comunicação, opinião sobre processo pendente
de julgamento. Membros da força-tarefa da Lava Jato e associações ligadas à magistratura e ao Ministério Público criticaram a decisão. As entidades discordam principalmente do ponto que trata como crime a violação dos direitos e prerrogativas do advogado. O texto volta para a Câmara, (Política/ pág. A4)


MP pede pena maior para Lula
O procurador Maurício Gotardo Gerum recomendou ao TRF da 4S Região o aumento da pena do ex-presidente Lula na ação do sítio de Atibaia. O petista foi condenado em primeira instância a 12 anos e 11 meses de prisão. (Pág. A10)

Fala de Guedes tumultua análise da reforma
O clima de tensão entre governo e Legislativo ganhou novo capítulo. Deputados da Comissão Especial que analisa a reforma da Previdência ameaçam esvaziar sessão marcada para hoje depois de ouvir que o ministro da Economia, Paulo Guedes, teria chamado o Congresso de “máquina de corrupção” em conversa com o governador do Ceará, Camilo Santana (PT). Guedes nega. (Economia/ págs. B1 e B4)

Entrevista Gilmar Mendes, ministro do STF: ‘O CEMITÉRIO ESTÁ CHEIO DE FALSOS HERÓIS’
Defensor do projeto que pune autoridades que cometem abuso, o ministro rebate a força-tarefa da Operação Lava Jato, que enxerga nessa lei uma forma de amedrontar juízes e investigadores. Mendes diz acreditar que o projeto pode evitar o surgimento de “falsos heróis”, (Política/pág. A8)

Congresso reage a governo e impõe agenda para arma
Um dia após o governo editar três decretos e enviar um projeto de lei sobre posse e porte de armas no País, o Senado aprovou ontem permissão para que habitantes de áreas rurais usem armas em toda a extensão da propriedade, não apenas na sede. (Metrópole/ PÁG. A17)

Militar com droga embaraça o Planalto
Preso na Espanha com 39 kg de cocaína na bagagem, o segundo-sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues, integrante da comitiva que acompanha a viagem do presidente Jair Bolsonaro a Tóquio,fez pelo menos 29 viagens oficiais, servindo a três presidentes, (Política/pág. A12)

STF barra férias em Aruba de senador que cumpre pena
Condenado a 4 anos e 6 meses em regime aberto, o senador Acir Gur-gacz (PDT-RO) foi liberado pelo juiz Fernando Messere, do TJ-DF, a passar férias com a família no Caribe. Anoite, Alexandre de Moraes, do STF, vetou viagem. (Política/pág. A10)

Merkel vai questionar Bolsonaro por desmate (Metrópole /pág. A19)

Mercosul e UE voltam a discutir acordo (Economia/pág. B9)

Cassada, no Conselho de Etica
Indicada pelo PSL para presidir o Conselho de Ética do Senado, Juíza Selma Arruda (MT) foi cassada pelo TRE por caixa 2. Ela recorreu, (Pág. A10)

William Waack
A Lava Jato se sentia operando em terra já arrasada. Em cima dela a sociedade terá de encontrar um novo caminho, (Política/pág. A8)

Reforma da Previdência enviada ao Congresso foi menos ambiciosa por causa das próprias escolhas do presidente, (Economia /pág. B4)

Notas & Informações
Caminho aberto para a reforma
Num avanço notável, consolida-se o cenário em que a maioria dos parlamentares parece convencida da premência da reforma da Previdência Resta detalhar o formato. (Pág. A3)

A prudência do STF
Ao menos no que diz respeito à prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o STF vem cumprindo a lei. (Pág. A3)


------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete: Sargento preso com 39 quilos de cocaína constrange Planalto
Detido na Espanha, militar auxiliava comitiva de Bolsonaro; caso põe em xeque aparato de segurança do presidente
Em um caso que gerou constrangimento internacional para o Palácio do Planalto e as Forças Armadas, o segundo-sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues, 38, foi preso em Sevilha, na Espanha, com 39 kg de cocaína em uma mala.

Ele integrava a equipe que dá suporte à comitiva do presidente Jair Bolsonaro (PSL) em sua viagem para a cúpula do G20, no Japão.
O presidente afirmou que o episódio é inaceitável. O vice, Hamilton Mourão, que exerce a Presidência interinamente, chamou o militar de “mula qualificada”, em alusão às pessoas contratadas por traficantes para o transporte de drogas.

Mourão disse que Rodrigues faria parte da tripulação do voo presidencial, mas depois recuou —a Defesa negou a informação.
Para auxiliares de Bolsonaro, a prisão mancha a imagem do país no exterior e demonstra falhas na fiscalização de quem viaja em aeronaves de apoio ao presidente, entre elas a falta de revista policial e de exame de detectores no embarque.

Na cúpula do governo há poucas dúvidas de que a detenção do sargento vai revelar um esquema mais amplo de narcotráfico. (Cotidiano B1)


Em aceno, comissão estende posse rural de arma
A Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou projeto de lei que permite a ruralistas ter posse de arma em toda a propriedade, não só dentro de casa. O texto, que precisa passar pelo plenário, é um aceno ao governo depois de Jair Bolsonaro revogar decretos de posse e porte. Senadores se propõem a dar aval a propostas menos radicais que as do Executivo. (Cotidiano B2)

Projeto antiabuso de autoridade passa no Senado
Senadores aprovaram texto que pune excessos por parte de juízes e procuradores. Proposta, que vai para a Câmara, voltou a ser examinada após a revelação de diálogos atribuídos a Sergio Moro e a membros da Lava Jato. (Poder A8)

Entrevista Fausto De Sanctis: Moro não fez nada de errado, e STF tem violado ética
Para magistrado que julgou processos das operações Satiagraha e Castelo de Areia, conduta do ex-juiz não mancha sentenças da Lava Jato. (Poder A10)

Anunciado há um mês, pacto entre Poderes emperra
O “Pacto pelo Brasil” foi para a prateleira de projetos adiados. A avaliação corrente na Câmara e no Senado é a de que a atitude beligerante do presidente contra o Parlamento impede a chancela de um texto conjunto. (Poder A4)

Por Previdência, governo libera lote extra de emendas
O governo de Jair Bolsonaro (PSL) liberou ontem, em vários ministérios, lotes extras de emendas para deputados federais que aceitarem votar a favor da reforma da Previdência.

Parlamentares confirmaram o acerto à reportagem.
Cada congressista terá direito a R$ 20 milhões a mais em verbas para direcionar a suas bases —metade pelo apoio na comissão da Câmara e metade em plenário.

A oferta não agradou à cúpula de siglas do centrão como PP e PR. (Mercado A17)


Com mudança em alíquota de compulsório, BC libera R$ 16 bi (Pág. A21)

Bolsonaro terá reuniões com Trump, Macron e Xi durante o G20 (Pág. A15)

Contas de Alckmin e França têm ressalvas por gastos em educação (Pág. A14)

Witzel rebate Doria e sugere que GP Brasil alterne entre Rio e SP (Pág. B8)

------------------------------------------------------------------------------------


Mídia

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem