Vetado pelo presidente Jair Bolsonaro, o que era para ser o novo comercial do Banco do Brasil pretendia atingir o público jovem, por isso foi inspirado no meme que viralizou no ano passado. Trata-se do viral publicado pela conhecida como “rainha das narrações”, a influencer Alcione Alves.

Alcione ganhou fama por narrar coreografias desde pessoas famosas até de anônimos que dançam de um jeito diferente, com suas gírias e sotaque marcante. Um dos seus vídeos mais viralizados é a narração do o coreógrafo Yrlan Souza, no qual ela usa as expressão que viraram febre “zaga” e “laga”, além de soltar “trocada de braço com quicada lateral, movimento confuso” e “pose pra foto, close de braço, cruzamento egípcio, com fechamento monge e teile”.



Todo o comercial do Banco do Brasil traz elementos da narração de Alcione, como “faz carão”, “papada negativa do alto”, “biquinho de vem cá me beijar”, “quebrada de pescoço pro lado”, “cara de diva irritada” e “tá de parabéns abrindo essa conta”.

Após o vídeo ser vetado por Bolsonaro, a agência WMcCANN, que criou a campanha, entrou em acordo com Alcione. Mesmo ela não tendo sido consultada para a produção, já está tudo acertado entre as partes. “Tô vendo milhares de pessoas e páginas me perguntando se eu tenho alguma coisa a ver com a história do Banco do Brasil, por causa do vídeo e da narração. Quero dizer que tudo já se resolveu, tudo está se encaminhando. Espero que tudo fique bem, não tenho nada a ver. É uma coisa do presidente pra lá, com o pessoal pra lá”, diz.



Catraca Livre

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem