247 - Na mensagem final da entrevista que concedeu ao El País e à Folha de S. Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu engajamento da população contra a proposta de reforma da Previdência de Jair Bolsonaro, de Paulo Guedes e do mercado financeiro. Segundo Lula, é pressionar os deputados federais em suas bases para votarem contra a proposta.

Leia o trecho:

"Quem coloca o ministro da Educação que ele colocou não gosta de educação. Quem coloca o cara [ministro] do Meio Ambiente que ele colocou não gosta de meio ambiente. Quem coloca o Guedes na economia não gosta do povo. Em vez de ficar esperando que o Bolsonaro resolva o nosso problema, nós temos, enquanto sociedade civil organizada, que começar a nos mexer, a lutar, a brigar pelos nossos interesses.

Cobrar o Congresso Nacional, fazer pressão. Você acha que vai [evitar] aprovar a reforma da Previdência Social como eles querem fazendo uma manifestação na avenida Paulista? Não. A manifestação tem que ser na cidade do deputado federal. Tem que ser na porta da casa dele. Na rua dele. Nós temos que brigar.

Então o meu otimismo é esse. Eu nunca dependi de nada. Nunca fiquei esperando. Nós temos que construir a nossa proposta e ir para a rua, via Congresso, pressão em cima do governo. É uma disputa."

Assista à entrevista na íntegra:








Brasil 247

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem