Foto: MST/Divulgação


O Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST) convida apoiadores e consumidores da Feira Nacional da Reforma Agrária no Parque da Água Branca para uma manifestação nesta quarta-feira (17), a partir das 15h.

Vinculado à Secretaria Estadual de Agricultura de São Paulo, o Parque da Água Branca sediou as três primeiras edições da feira promovida pelo MST, durante a gestão de Geraldo Alckmin (PSDB). No entanto, o atual governador, o também tucano João Doria, vetou o uso do espaço, alegando que parques podem comportar até 5 mil pessoas e que o público do MST ultrapassa 200 mil.

Foto: Reprodução

O ato público está marcado para as dependências do parque, na zona oeste paulistana. O objetivo é pressionar o governador a rever o veto à realização do já tradicional evento no local, como tem ocorrido nos meses de maio.

Desde a semana passada, um abaixo-assinado pedindo a permanência está circulando nas redes sociais. Uma das signatárias da campanha, a chef de cozinha Bel Coelho, considera arbitrária a decisão de Doria. Ela defende a feira como um evento formador de uma consciência agroecológica e de segurança alimentar.

A proibição da feira criou uma grande reação nas redes a favor do evento, que mobilizou até o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Para a coordenação do movimento, a justificativa de que a estrutura do parque não comporta o evento não condiz com a realidade, uma vez que as edições anteriores do evento transcorreram sem problemas. O público total da feira não tem uma presença simultânea. A visitação ocorre no decorrer do dia, durante quatro dias.

O impedimento soa parte de uma campanha do governador tucano de perseguição e criminalização ao movimento que incorporou a produção de alimentos mais saudáveis, sem uso de agrotóxicos e transgênicos, à sua luta por reforma agrária desde que foi fundado, há 35 anos. Durante sua campanha ao governo, inclusive em debates na TV, Doria foi incisivo em relação ao movimento, sempre classificando-o como grupo “terrorista”.



Revista Fórum

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem