Foto: Agência Câmara

A manga e o combate a fome
Por Maister F. da Silva

A declaração debochada da Ministra Tereza Cristina, não é um acaso ou uma infelicidade, pelo contrário, expressa a opção de classe feita pelo governo federal. A Ministra ao dizer que “brasileiro não passa muita fome por que temos muitas mangas”, soma-se as declarações desastrosas dos demais ministros e evidencia que desprezam os pobres e os trabalhadores do país, deixando-os a própria sorte ou à famigerada meritocracia, ou seja, se merecedor “talvez você possa comer mais que uma manga”.

A ministra não trata com o mesmo desprezo os seus representados do agronegócio, em 100 dias de governo já liberou mais de 150 agrotóxicos, desses 16 altamente tóxicos e alguns outros proibidos no mundo inteiro. O governo Bolsonaro não reconhece que a segurança alimentar é um pilar de desenvolvimento e sustentabilidade ambiental, econômica e social e como tal deve ser tratada, para o bem comum da nação. A falta de emprego e de um projeto claro de desenvolvimento de curto prazo tem trazido de volta a triste realidade do retorno da fome e da insegurança alimentar a milhares de lares brasileiros, ao que parece Tereza Cristina e Bolsonaro não preocupam-se com isso.

Um hectare de mangueiras produz em média 25 toneladas de manga. O triste para um brasileiro é constatar a partir do deboche de uma Ministra que um pé de manga é proporcionalmente mais eficaz no combate à fome do que tudo o que o governo federal fez em 100 dias de governo para melhorar a qualidade e as condições de vida do povo pobre e trabalhador brasileiro.


* Militante do Movimento dos Pequenos Agricultores e membro do FRONT – Instituto de Estudos Contemporâneos

GGN

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem