O Globo


Manchete: Destruição e dor
Temporal no rio deixa 10 mortos, 6 deles soterrados cidade tem vias interditadas e ruas devastadas prefeitura não investiu, este ano, em prevenção

O temporal que castigou o Rio por mais de 24 horas deixou, até a noite de ontem, dez mortos e um rastro de destruição nas zonas Sul, Norte e Oeste. Bairros inteiros ficaram sob água, casas foram invadidas por verdadeiras cachoeiras, e ruas amanheceram devastadas, com carros empilhados. Houve ainda vários deslizamentos de terra. Em Botafogo, uma pedra rolou sobre um táxi, matando o motorista, uma avó e sua neta de apenas 6 anos, que ficaram desaparecidos por mais de 12 horas. No Morro da Babilônia (Leme), duas irmãs e um homem morreram soterrados. A forte tempestade teve efeitos ampliados por falhas em série da prefeitura, que de morou a acionar servidores, equipamentos e seu próprio protocolo de emergências. Também contribuiu decisivamente a falta de investimentos. Este ano, o município não desembolsou um único centavo em drenagem e contenção de encostas, e foram gastos só R$ 208 mil com prevenção de enchentes. O prefeito Marcelo Crivella admitiu a resposta ineficaz da administração: “Infelizmente, não fomos prudentes”. Niterói também sofreu com alagamentos e desmoronamento de encostas. (Páginas 14 a 27)

Paz no MEC: Ministro toma posse e promete afastar quem não estiver alinhado à cúpula (Página 39)


Motorista: Governo quer dobrar limite de pontos para suspensão de carteira (Página 8)


Sob nova direção
Hoje, quando as novas gestões completam a marca de cem dias no poder, O GLOBO apresenta um diagnóstico detalhado do andamento das políticas públicas no governo de Jair Bolsonaro e em dez estados. Foram avaliadas áreas essenciais, que vão de saúde e segurança a economia e educação. (Caderno Especial)
Após parecer favorável, reforma deve ser votada na CCJ no dia 17
Em sessão tumultuada, relator da reforma da Previdência na CCJ, deputado Delegado Marcelo Freitas, dá aval para proposta ir ao colegiado. (Página 32)
Washington Fajardo 
Sem planejamento, perderemos o Rio (Página 25)
Berenice Seara 
Crivella, inépcia e impeachment (Página 27)
Com prefeitura inerte, rio fica refém da chuva (Página 2)


Diálogo pela Previdência
Em evento dos jornais O GLOBO e “Valor”, Paulo Guedes e Rodrigo Maia debatem a reforma que visa economizar R$ 1 trilhão. (Páginas 33 a 36)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo


Manchete: Ministro defende tirar Bolsa Família de aluno agressor
Abraham Weintraub disse que, por ora, não mudará programas do MEC e manterá cronograma do Enem

O novo ministro da Educação, Abraham Weintraub, defende que professores agredidos em sala de aula chamem a polícia e que “no limite” os pais dos agressores percam os benefícios do Bolsa Família e até a tutela do menor. “Tem de cumprir as leis, senão caminhamos para a barbárie. Hoje há muito o ‘deixa disso’, o ‘coitado’. O coitado está agredindo o professor”, disse, em entrevista ao Estado. Ele afirmou que está atento a “sabotagens” no MEC, mas nega que haverá perseguições. “Não sou caçador de comunistas.” Weintraub disse ainda que, por ora, não fará mudanças no Fies (programa de financiamento estudantil) nem no Prouni (que concede bolsas de estudo) e que, apesar dos tropeços, o cronograma do Enem será mantido – e Bolsonaro não lerá as questões antes da prova. Também negou ser “olavista”. “Olavo de Carvalho tem ótimas ideias, mas não concordo com tudo.” (Política / Pág. A4)

Dez morrem com chuva recorde no Rio
Bombeiros carregam corpo na Ladeira do Leme, onde o táxi de Marcelo Tavares foi soterrado com Lúcia Neves e a neta dela, Júlia, dentro. Mais sete pessoas morreram em outros bairros do Rio, que decretou estado de crise por causa da forte chuva que atinge a cidade desde anteontem. (Metrópole / Pág. A14)
Guedes promete criar imposto único e ajudar prefeitos
O ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou ontem, durante encontro com prefeitos, que o governo planeja criar um imposto único federal juntando de três a cinco tributos federais. Guedes prometeu ainda que os impostos e contribuições passarão a ser compartilhados pela União com governadores e prefeitos, que receberiam a maior parte dos recursos. (Economia / Pág. B3)
Governo quer dobrar limite da CNH para 40 pontos
Projeto de lei preparado pelo Ministério da Infraestrutura aumenta de 20 para 40 pontos o limite de infrações para que motoristas percam a carteira de habilitação e amplia o prazo de validade do documento dos atuais cinco para dez anos. As medidas não serão retroativas. A proposta deve ser encaminhada ainda esta semana para o Congresso. (Metrópole / Pág. A16)
Chanceler demite presidente da Apex (Política / Pág. A6)


‘Revogaço’ de Bolsonaro eliminará 250 decretos (Economia / Pág. B5)


Os ‘memes’ do presidente
‘tá muito bom. pode mandar`

O Estado teve acesso a áudio de Bolsonaro comentando a criação de “memes” de redes sociais com subordinado. “Tá muito bom. Pode mandar”, diz. (Política / Pág. A6)

NOTAS & INFORMAÇÕES
O problema é de gestão
É pouco provável que o presidente não soubesse que Vélez não tinha nenhum sinal de tarimba como administrador público, especialmente na educação. (Pág. A3)

O FMI e o Brasil emperrado
Com novo presidente e novo comando econômico, o Brasil continua correndo no pelotão de trás dos emergentes. (Pág. A3)

------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo


Manchete: 51% são contra reformada Previdência, e 41%, a favor
Segundo Datafolha, maioria apoia regra própria para professor e trabalhador rural

A reforma da Previdência proposta pelo governo Jair Bolsonaro (PSL) é rejeitada por 51% dos brasileiros, mostra pesquisa Datafolha. São favoráveis 41%. A oposição é maior entre as mulheres (56%). Brasileiros defendem regras diferentes para professores e trabalhadores rurais, mas não para militares. No total, 61% as aprovam para trabalhadores rurais, e 53%, para professores. Quanto aos militares, 54% consideram que não deveria haver distinção, e 44% são a favor. Há clara polarização de acordo com o voto na eleição de 2018: entre os que elegeram Jair Bolsonaro, 55% são a favor da reforma. Entre quem optou por Fernando Haddad (PT), branco ou nulo, 72% se dizem contra a mudança. A atual proposta tem rejeição inferior à registrada em abril de 2017 (71%), quando Michel Temer tentava a reforma. (Mercado A23)

Temporal mata ao menos 10 e coloca rio em estágio de crise
Pessoas observam cratera no Jardim Botânico; o prefeito Marcelo Crivella (PRB) reconheceu que sua gestão falhou ao lidar com alagamentos, enquanto a oposição o acusa de contingenciar 71% das verbas para prevenção de enchentes (Cotidiano B1)
Governo propõe dobrar, de 20 para 40 pontos, limite da CNH
O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, disse ontem que deve enviar ao Congresso projeto para ampliar a pontuação por multas que suspende a habilitação; especialistas veem riscos à segurança no trânsito. (Cotidiano B5)
Sem verbas da Lei Piva, esporte olímpico corre risco de parar
Repasses da Caixa ao Comitê Olímpico do Brasil, suspensos por causa de uma dívida tributária deR$191 milhões da entidade, são a maior fonte de recursos para boa parte das confederações de modalidades olímpicas. (Esporte B10)
Ministro diz que acalmará ânimos na Educação
Empossado para conter a crise no MEC após o turbulento período sob Ricardo Vélez, o novo ministro, Abraham Weintraub, disse ontem que a pasta “não está entregando no ritmo esperado” e afirmou ter capacidade e currículo para a função. Ele rejeitou críticas sobre sua inexperiência como gestor na área de educação. (Cotidiano B4)
‘Tudo que vem do Olavo tem que tirar’, afirma Frota
Para o deputado federal Alexandre Frota (PSL-SP), o ideólogo Olavo de Carvalho tem espaço demais na atual gestão. Ele aponta ainda Onyx Lorenzoni, da Casa Civil, como o responsável pela falha na articulação política. (Poder A8)
Após ser criticado, chanceler demite chefe de agência
Ernesto Araújo anunciou a demissão de Mario Vilalva da presidência da Apex (agência de promoção de exportações). Vilalva criticou manobra do chanceler para retirar seus poderes e transferi-los para dois aliados na agência. (Mundo A20)
Planalto segura reajuste para dar 13º do Bolsa Família
O presidente Jair Bolsonaro anuncia nesta quinta (11) o 13º salário para cadastrados no Bolsa Família — despesa adicional de R$ 2,5 bilhões. Com isso, não haverá reajuste do benefício este ano. (Poder A6)
STF manda soltar o ex-presidente da Petrobras Aldemir Bendine (Pág. A16)


Editoriais
MEC na encruzilhada
Sobre troca de titular no ministério conflagrado.

Acolhida difícil
Acerca de programa de alocação de venezuelanos.

Teto reduzido da lei Rouanet deve poupar museus e orquestras


------------------------------------------------------------------------------------

Mídia

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem