A truculência, a crueldade e a ilegalidade são marcas dos atos de repressão a civis praticados no Brasil por agentes de Estado, ontem e hoje. Sob a chancela da segurança nacional ou pública, são cometidos crimes de tortura, atentados sexuais, assassinatos e desaparecimentos forçados. A reparação a sobreviventes e familiares das vítimas passa pelo reconhecimento das graves violências, com base em medidas de preservação da memória e revelação da verdade.

No intuito de contribuir para esse objetivo e de dar visibilidade à questão, será realizada no próximo domingo, 31 de março, a I Caminhada do Silêncio. A atividade acontece a partir das 16h, no Parque Ibirapuera, em São Paulo/SP.

O ato consiste em uma caminhada silenciosa que parte da Praça da Paz – localizada no centro do Parque Ibirapuera – rumo ao Monumento em Homenagem aos Mortos e Desaparecidos Políticos, situado na calçada, ao lado do parque.

A concentração para a caminhada terá início às 16h, na Praça da Paz. Às 16:30 haverá um show de acolhimento, com Renato Braz e convidados(as): Bré Rosário, Paulo Grassman, Jean Garfunkel, Lela Simões, Karine Telles, Mário Gil, Roberto Leão, Breno Ruiz, Vicente Barreto, Fabiana Cozza e Eduardo Gudin.

Às 18h30, o grupo dará início à caminhada, que terá um percurso de 1,2 km. O público foi convidado a levar fotos de vítimas de violência estatal e flores, que deverão ser depositadas no gramado junto ao Monumento pelos Mortos e Desaparecidos Políticos. O Monumento foi produzido em 2014 pelo arquiteto e artista plástico Ricardo Ohtake, e sua estrutura carrega os nomes de 436 mortos e desaparecidos políticos de todo o país.

O encerramento, em frente ao Monumento, está previsto para as 19:30 com Renato Braz e Fabiana Cozza.

O ato é uma iniciativa da Comissão Especial Sobre Mortos e Desaparecidos Políticos, instituída pela Lei 9.140/95. em conjunto com a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC/MPF). A organização com o apoio do Departamento de Educação em Direitos Humanos e Direito à Memória, da Secretaria Municipal de Direitos Humanos da Prefeitura de São Paulo, bem como das seguintes entidades: Instituto Vladimir Herzog, Núcleo Memória, Sindicato dos Advogados de São Paulo (SASP), Memorial da Resistência de São Paulo, Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP), Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH), Intercâmbio, Informações, Estudos e Pesquisa (IIEP) e Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade de São Paulo (USP).

Serviço:
I Caminhada do Silêncio
Data: 31/3/2019
Horário: 16h
Local: Parque do Ibirapuera. São Paulo (SP)





GGN

Faça um comentário

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Postagem Anterior Próxima Postagem