Vodu, canibalismo e uso da saliva para limpeza ganham Prêmio IgNobel


PESQUISA COM BONECO DE VODU GANHOU O IGNOBEL DE ECONOMIA (FOTO: BEATRIXBELIBASTE/WIKIMEDIA COMMONS)

Premiação, que foi realizada na Universidade Harvard, celebra os estudos científicos mais estranhos (e inúteis) do mundo

Acada outono do hemisfério norte é realizado o Prêmio IgNobel, que premia as pesquisas científicas mais engraçadas e inusitadas produzidas em todo mundo. Ou, como a organização declara, primeiro "faz as pessoas rirem e depois as faz pensar”. A condecoração é dada pela revista Annals of Improbable Research, e os vencedores ganham uma cédula de dez trilhões de dólares do Zimbábue – que vale pouco mais de R$ 4. Em 2018, dez prêmios foram anunciados na noite de quinta-feira (13), em uma cerimônia na Universidade Harvard, nos Estados Unidos.

O vencedor da categoria Economia foi um estudo sobre como funcionários podem superar a injustiça no local de trabalho ao torturar um boneco de vodu que se parece com o patrão. Urologistas norte-americanos ganharam o prêmio de Medicina pelo artigo que mostrou que andar em montanhas-russas pode melhorar a condição de pedras nos rins. O prêmio de Nutrição foi entregue ao trabalho que revelou o valor nutricional de uma dieta canibal. Já o vencedor da categoria Literatura foi um projeto que demonstrou como as pessoas ficam desesperadas lendo manuais de instrução.

Pesquisadores espanhóis levaram para casa o prêmio da Paz pelo exame de quantas vezes os motoristas gritam e xingam no trânsito. Eles descobriram que mais de um quarto das pessoas faz isso em algum momento, com apenas 2% admitindo que fazem isso o tempo todo.

Os contemplados em Antropologia foram filósofos suecos que descobriram, por meio de observações em um zoológico local, que os chimpanzés imitam os humanos tanto quanto os humanos imitam os chimpanzés. Na categoria Biologia, pesquisadores mostraram que os provadores profissionais de vinho podem detectar a presença de uma única mosca em um copo de vinho. E japoneses venceram em Medicina Reprodutiva com um estudo que, após 18 meses de tentativas e erros, usou selos postais para medir se os homens tinham ereções à noite enquanto dormiam.

A cerimônia também distribuiu o prêmio de Química para portugueses que estudaram o quanto as propriedades da saliva podem ser utéis na limpeza de superfícies sujas. E especialistas japoneses ganharam na categoria Educação Médica ao demonstrarem que a colonoscopia (exame do intestino grosso e do reto) pode ser realizada sozinha, desde que a pessoa fique sentada na posição correta.

Pesquisas

O estudo que buscou entender por que funcionários insatisfeitos retaliam bonecos com alfinetes mostrou que a atividade os ajuda a restaurar seu senso de justiça no mundo. Em uma série de experimentos, trabalhadores foram solicitados a relembrar uma ocasião em que seu chefe os intimidou, e a metade teve a chance de liberar sua frustração em um boneco virtual de vodu. "Aqueles que esfaquearam o boneco sentiram maior senso de justiça", disse Douglas Brown, ao The Guardian. Ele é membro da equipe de especialistas da Universidade de Waterloo, no Canadá, que venceram o IgNobel de Economia.

"Ganhar este prêmio é o destaque da minha carreira", afirmou Brown. “Nós mostramos às pessoas que a ciência não precisa necessariamente ser chata. Às vezes você pode fazer ciência e rir ao longo do caminho. ”

O arqueólogo James Cole, da Universidade de Brightom, no Reino Unido, calculou que não o corpo humano não oferece muitas propriedades nutritivas, e que consumir uma dieta tradicional é melhor do que o canibalismo. "Você consegue ganhar mais calorias de um cavalo", falou Cole.

Thea Blackler, da Universidade de Tecnologia de Queensland, na Austrália, revelou como a maioria das pessoas não usa todos os recursos de seus produtos e não consultam manuais de instruções. "As pessoas não querem usar manuais e sentem que não deveriam", declarou. "É hora de termos um novo sistema que pode ser construído em dispositivos, por exemplo, uma assistência sensível ao contexto ou um melhor ajudante artifical."

Galileu

Postar um comentário

0 Comentários