Ibope: cai rejeição a Lula, explode a de Bolsonaro! - Miguel do Rosário


Crédito: Dida Sampaio / Estadão.

Por Miguel do Rosário

Em junho, o percentual de entrevistados que responderiam que não votariam “de jeito nenhum” em Lula entre eleitores com ensino superior era de 45%, e o de Bolsonaro, de 38%.

Passados três meses a situação se inverteu: a rejeição a Lula entre os mais instruídos continua alta, mas caiu 4 pontos, para 41%, enquanto que a de Bolsonaro subiu 7 pontos, para 45%.

Entre eleitores com renda familiar acima de 5 salários, a rejeição a Lula ao final de junho, segundo o mesmo Ibope, era de realmente perigosa, 53%. Bolsonaro era rejeitado, no mesmo segmento, por 34%. Na pesquisa de agora, a rejeição de Lula entre este mesmo eleitorado caiu cinco pontos, ficando em 48%, número que é, todavia, ainda preocupante. Bolsonaro, por sua vez, viu sua rejeição aumentar para 37% entre eleitores com renda familiar acima de 5 salários, cinco pontos de aumento sobre a pesquisa anterior.

É importante analisar, portanto, a dinâmica do processo: a rejeição a Lula está caindo, apesar de ainda ser muito alta, ao passo que a de Bolsonaro está subindo rapidamente.

É interessante (e preocupante) notar ainda que Fernando Haddad experimentou um salto de rejeição entre eleitores que ganham mais de 5 salários, naturalmente como resultado da perpepção de que pode ser ele o candidato do PT: em junho, a rejeição desse segmento a Haddad era de apenas 14%, típica de nomes “inofensivos”; hoje pulou para 26%, similar à rejeição de candidatos mais conhecidos, como Geraldo Alckmin (28%) e Ciro Gomes (24%).

Um certo grau de rejeição, contudo, não é negativo. Ao contrário, candidatos competitivos sempre tem índices de rejeição beirando os 30%, pois isso espelha o sentimento dos eleitores dos candidatos concorrentes.

Na média, Lula tem rejeição de 30%, contra 37% de Bolsonaro. É um tanto irônico que o candidato preso, condenado, açoitado dia e noite pela grande mídia, tenha menos rejeição que Bolsonaro… Em junho, Lula tinha 31% de rejeição média, e Bolsonaro 32%.

O pior desempenho de Lula é no Sudeste, onde ele tem rejeição de 37%, tendo oscilado um ponto para baixo em relação à junho. A rejeição a Lula no Sul, por sua vez, caiu 7 pontos: era de 43% em junho e está 36% agora. Bolsonaro viu sua rejeição explodir no Sul: esta era de apenas 27% em junho, e agora é de 39%, um aumento de 12 pontos! No Nordeste, a rejeição a Bolsonaro é de 46%.




O Cafezinho

Postar um comentário

0 Comentários