O que a direita pode e a esquerda não pode, por Rogerio Maestri





O que a direita pode e a esquerda não pode, por Rogerio Maestri


Se alguém procurar um pouco no YouTube dentro dos diversos canais da extrema-direita, verá canais com relevância média a alta (acima de cinquenta a duzentos mil inscritos) coisas que ultrapassam a liberdade de opinião que está prevista na lei.

Escutar em alto e bom tom alguém fazendo a propaganda de um golpe militar com objetivo de tirar o executivo, fechar o congresso e o supremo tribunal é algo comum em vários endereços públicos. Não estou falando de alguém num grupo fechado do Facebook fazendo este tipo de declaração, estou falando de canais abertos. Se conseguirmos chegar a grupos fechados do Facebook, que na realidade não são tão fechados assim, veremos discursos que propagandeiam coisas como assassinatos individuais ou coletivos de opositores e de comunidades inteiras. Por curiosidade entrei num destes grupos fechados, que além de propagandearem o extermínio puro e simples de esquerdistas em geral, caem em antissemitismo, nazi fascismo e racismo, diga-se de passagem, que depois de ler duas páginas simplesmente retirei meu nome do grupo.


A liberdade de opinião não pode ser confundida com a propaganda ao crime, e tanto fechamento dos poderes constituídos com objetivos políticos é uma conspiração contra o Estado Brasileiro.

O mais surpreendente é que estas plataformas, que ameaçam blogs e canais de esquerda de censura por estes canais terem divulgado que o Papa havia enviado um terço com suas preces ao Presidente Lula, elas não podem dizer nada que possa parecer mais do que distante uma sublevação contra os poderes constituídos, uma sublevação que se tivesse origem num levante popular e não contrariaria o artigo primeiro da constituição brasileira, onde diz que todo o poder emana do povo, não pode porque é subversão. Já um grupo reduzido de pessoas de extrema direita propor a derrubada das instituições da República isto pode.

Ou seja, a extrema direita dizer que algumas pessoas, baseadas nas polícias militares e nas Forças Armadas, isto pode, agora falar que o Papa mandou um terço para Lula, isto não pode.

GGN