Podres poderes, por Claudio Guedes



Podres poderes
por Claudio Guedes
em seu Facebook

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes acaba de conceder habeas corpus a Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, apontado pela Lava Jato como operador do PSDB.

Há dois dias a jornalista Monica Bergamo - que não faz fofoca, mas jornalismo, sendo quase uma "estranha no ninho" na Folha de S. Paulo - afirmava na sua coluna: "O engenheiro Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, passou a estudar a sério a possibilidade de fazer um acordo de delação premiada, ideia que rejeitava até agora".

Paulo Preto é suspeito de ter movimentado mais de R$ 300 milhões em propinas para o PSDB. Cerca de R$ 113 milhões documentados em contas na Suíça pelo Ministério Público de lá.

Paulo Preto, tudo indica, e é do conhecimento de todos que de alguma forma conhecem um pouco dos bastidores políticos de São Paulo nos últimos quinze anos, operava fortemente para os tucanos José Serra e Aloysio Nunes Ferreira, governador de SP e chefe da Casa Civil, quando comandava as grandes obras do estado na DERSA.

O mesmo STF que negou seguidos habeas corpus ao ex-presidente Lula, vítima de um processo farsesco, com provas questionáveis e tramitação singular, concede liberdade a um investigado de corrupção pego com mais de uma centena de milhões de reais em contas não declaradas no exterior.

A justiça brasileira apodrece a passos largos.


GGN