Presidente da OAB-RJ, Felipe Santa CruzFoto:Reprodução/Facebook

Ação representa “riscos à democracia”, diz

PODER360

O presidente do Sindicato dos Advogados do Estado do Rio de Janeiro, Alvaro Quintão, disse que o apoio da OAB (Organização dos Advogados do Brasil) no Estado à intervenção do governo federal foi 1 “oportunismo”.

Clique na imagem e acesse ofertas imbatíveis
“Nem uma palavra sobre a evidente inconstitucionalidade de se criar a figura da “intervenção militar”, disse.

Ontem, a OAB no Rio afirmou que a intervenção, apoiada pelo governador Luiz Fernando Pezão, revela a “completa incapacidade do governo estadual”.

O órgão afirmou que irá criar 1 grupo para acompanhar a ação do governo federal durante o período que estiver sob o comando da segurança pública do Estado.

Em nota, o sindicato afirma que a ação representa “riscos à democracia”. A entidade afirma que a OAB deveria ter condenado “firmemente” a intervenção.

Leia a íntegra da nota:

A nota do Presidente da OAB/RJ sobre a intervenção federal no Rio de Janeiro revela apenas o oportunismo de sua administração. Nem uma palavra sobre a evidente inconstitucionalidade de se criar a figura da “intervenção militar”, quando a Constituição prevê apenas a natureza civil deste instituto de exceção. Nem uma palavra sobre os riscos à democracia que ela representa. Apenas críticas tardias e oportunistas ao Governo do PMDB, apoiado pelo presidente da OAB-RJ até a falência da Administração Pezão. Mesmo diante dos meses de atrasos de salários dos servidores e paralisia completa da Administração Estadual, a OAB/RJ se manteve calada. Apenas agora constata a falência do governo Pezão a OAB-RJ fala em “diálogo com a sociedade civil”, invocando o apoio do igualmente omisso Conselho Federal da OAB. A OAB/RJ mais uma vez se omite no seu papel institucional e não condena firmemente esta intervenção inconstitucional e oportunista. Seu presidente prefere buscar no desastre da segurança pública no Rio de Janeiro uma oportunidade para alavancar sua campanha para o Conselho Federal, lançando “um grupo de acompanhamento da intervenção federal”. Infelizmente, o convite da OAB-RJ não sensibiliza nenhum setor sério da sociedade civil. Ninguém vê o seu Presidente como um interlocutor sério para debater a grave crise da segurança pública no Estado após anos de omissão e adesão oportunista às administrações do PMDB (partido ao qual é ou era filiado) na cidade e no Estado. A OAB-RJ tem um longo caminho pela frente antes de recuperar a sua credibilidade perante a sociedade civil fluminense e precisa, antes de tudo, de um Presidente à altura de suas tradições.

Poder360
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

Recomendamos para você

Minha lista de blogs