Dono do Vox Populi diz que Lula vence eleição até preso


O cientista político Marcos Coimbra é um dos maiores especialistas em cenários eleitorais do país, além de ser dono do Instituto de Pesquisas Vox Populi. Em entrevista a um programa de TV o especialista joga um balde de água fria em quem acha que o PT está por baixo. Para Coimbra, o PT será a grande força da eleição de 2018 com ou sem Lula. E se o ex-presidente for preso, isso pode aumentar a força eleitoral do partido.

Durante entrevista ao programa Mundo Político, da TV da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, o cientista político Marcos Coimbra fez uma análise do cenário eleitoral para 2018 com e sem a presença do ex-presidente Lula.

No cenário com Lula candidato não é descartada a possibilidade de o ex-presidente vencer no primeiro turno, uma vez que ele tem quase o dobro do segundo colocado, segundo várias pesquisas.

Além disso, os processos contra ele são entendidos como perseguição, assim como a forma como a ex-presidente Dilma Rousseff foi afastada pelo Congresso é vista como algo que ocorreu de maneira ilegal.

Coimbra também afirma que, de acordo com a última pesquisa Data Folha, 27% dos entrevistados votariam em quem Lula indicasse, uma espécie de voto cativo. Ou seja, preso ou solto, candidato ou não, o ex-presidente é decisivo nesta a eleição também por conta do crescimento do petismo e ainda do lulopetismo.

Portanto, para Marcos Coimbra, a ausência de Lula não significa que o PT deixará de ter candidato. Ele diz que Lula tem uma taxa de intenção de voto maior do que o PT, mas afirma que um outro candidato petista é competitivo na disputa eleitoral.

Coimbra diz ainda que

(1) haverá eleições porque o golpe precisa manter a aparência de legalidade;

(2) o PT terá candidatura própria com ou sem Lula porque tem o maior cacife eleitoral do País;

(3) Jair Bolsonaro vem murchando com o esgotamento do discurso de ódio;

(4) Michel Temer pode torrar bilhões em propaganda que continuará a ser inviável;

(5) Geraldo Alckmin e Marina Silva não têm musculatura política para reagir e também devem murchar durante o processo eleitoral.

(6) discurso das reformas, como reforma da Previdência e privatizações, tira votos em vez de agregar.

Mas a principal informação dada por Coimbra é sobre a força do PT nas eleições deste ano. O que se extrai da fala dele é que a perseguição a Lula e a retirada de direitos após o golpe despertou a maioria silenciosa dos brasileiros, que irá às urnas em busca de quem desfaça o que fez Michel Temer.

Enquanto isso, Alckmin e Bolsonaro disputam quem faz propostas mais impopulares. Agora, inclusive, deram de prometer privatizar até o ar que respiramos.

Em dezembro, pesquisa Datafolha detectou que 70% dos brasileiros são contrários a privatizações.

O que se extrai das previsões desse e de outros cientistas políticos é que a eleição de 2018 poderá se converter em uma contundente resposta do povo brasileiro aos autores do golpe parlamentar de 2018. Uma resposta histórica que ecoará nos quatro cantos do mundo

Blog da Cidadania