EFE/EPA/ERIK S. LESSER

A polêmica marcha "Unir à direita" concentra neste sábado centenas de supremacistas brancos em Charlottesville (Virgínia, Estados Unidos), em protesto pela retirada de uma estátua em homenagem ao general confederado Robert E. Lee, e depois da ocorrência de confrontos violentos na véspera.

Um grupo dos manifestantes foi na noite desta sexta-feira ao campus da Universidade de Virgínia, com sede em Charlottesville, com tochas para celebrar a decisão de um juiz federal de permitir a manifestação de hoje, o que gerou choques violentos com estudantes, o que requereu a intervenção da polícia.

Com cântico de "Vidas dos brancos importam", os manifestantes se concentraram hoje em frente a uma estátua de Thomas Jefferson, um dos pais fundadores dos EUA.

Jason Kessler, organizador da marcha, destacou em um comunicado que se trata de defender a Primeira Emenda da Constituição, que protege a liberdade de expressão, e respaldar os "grandes homens brancos que estão sendo difamados, caluniados e derrubados nos EUA".

Entre manifestantes e opositores, a expectativa é que se reúnam na pequena cidade, 300 quilômetros ao sudoeste de Washington, mais de 2.000 pessoas no que é descrito como "o maior encontro de ódio em décadas nos EUA", segundo o Southern Poverty Law Center, uma instituição que investiga grupos que fomentam a violência racial.

Perante os previsíveis enfrentamentos, mais de 1.000 agentes de segurança estatal estão preparados, e o governador do estado, o democrata Terry McAuliffe, pediu aos cidadãos que se mantenham afastados do protesto.


Agencia EFE
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;