Em entrevista ao Le Monde Diplomatique, ele comenta sobre a seletividade da Lava Jato e a paixão pela literatura


Brasil de Fato

Vencedor do Premio Camões 2016, escritor Raduan Nassar dá entrevista e critica o governo golpista e a seletividade do judiciário / Le Monde Diplomatique

"Rasgaram a Constituição. É um casuísmo atrás do outro, inclusive na Operação Lava Jato", essa afirmação é do autor brasileiro Raduan Nassar, que, aos 81 anos, faz críticas à conjuntura política brasileira.

Autor de célebres livros como "Lavoura Arcaica" (1975) e "Um copo de cólera" (1978), que abordam questões políticas, Nassar concedeu entrevista nesta semana ao jornal Le Monde Diplomatique. Em sua análise, fez críticas à seletividade do Judiciário brasileiro, condenou o golpe no Brasil e seus cúmplices:

“O Judiciário, em vários níveis, propiciou o golpe, liquidando com o Estado democrático de direito. Ao crivo crítico, a condenação de Lula agora é uma aberração”, comenta.

Vencedor do Prêmio Camões de 2016, fez discurso contra o governo do golpista Michel Temer (PMDB) e gerou revolta no ex-ministro da Cultura Roberto Freire, que mudou seu discurso para fazer contraponto à fala de Raduan.

Além disso, falou sobre sua relação com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e com outras organizações populares que "inspiram esperança". No entanto, também foi crítico à postura da esquerda nos últimos anos:

"Faltou um trabalho de base da esquerda no Brasil. E a participação popular ficou à mercê da mídia de direita, especialmente dos telejornais diários", pontua.

Edição: Camila Rodrigues da Silva


Brasil de Fato
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;