Por Flávio Luiz Sartori
Não foi surpresa o ataque da Rede Record à Globo dos irmãos Marinho em reportagem de Luiz Carlos Azenha no Programa Domingo Espetacular do ultimo domingo, 16/07, mostrando denúncias de sonegação fiscal bilionária e concessão de benefícios fiscais que envolvem o ex–ministro Antonio Palocci, que tenta acordo de delação premiada que nunca é aceito pelos procuradores da Lava Jato, exatamente por envolver banqueiros e a Rede Globo.

A Rede Record, como todos sabemos pertence a Igreja Universal comandada por Edir Macedo e não vem de hoje a guerra que ela trava contra a Rede Globo dos irmãos Marinho.

No Governo Lula e no primeiro mandato e início do segundo mandato da presidenta Dilma Roussef, o PRB, partido político que é o braço político da Igreja Universal, foi aliado do PT ocupando ministérios, dentre os quais o da pesca.

No golpe do ano passado, Edir Macedo e seus liderados se revelaram golpistas e os 21 deputados federais e um senador do PRB, votaram contra a democracia. Desde de então o PRB de Edir Macedo se tornou aliado inseparável do governo golpista de Temer.

Em Outubro de 2015, o Jornal da Record mostrou uma série de reportagens sensacionalistas de operações da Policia federal e contra familiares do ex-presidente Lula, contra um dos filhos de Lula, também um sobrinho e uma nora, isto antes do golpe. Em novembro de 2016, em duas reportagens com mais com de dez minutos de duração, Lula foi novamente atacado no Jornal da Record com insinuações sem provas de propinas e uma reforma na piscina do Palácio da Alvorada que teria sido irregular.

No conteúdo as reportagens da Rede Record seguiram o mesmo método da Rede Globo dos irmãos Marinho.

Não podemos cair na ingenuidade de acreditar que a Record ao atacar a Globo esta encampando a causa da democracia contra um dos principais símbolos do golpe contra a democracia no Brasil. Edir Macedo nunca teve nada de progressista, seu império foi construído as custas de doações financeiras para a Igreja Universal de milhares de fieis incautos enganados, que praticamente custearam a construção de um império de comunicação do qual a Rede Record é o principal expoente.

De acordo com a coluna de Leandro Mazzini, do jornal O Dia, nos últimos dias o governo Temer tem cobrado dívidas da Rede Globo dos irmãos Marinho, inclusive do BNDES e teria decidido declarar guerra à Globo devido aos ataques que vem sofrendo pelo jornalismo dos irmãos Marinho empenhados em derrubar seu governo.

Isso significa que ao atacar a Globo, principalmente em um domingo em que a mesma Globo através do Fantástico tentou de todas maneiras justificar a sentença injusta e sem provas do Moro contra o ex-presidente Lula, a Rede Record pode muito bem estar apenas prestando um serviço a seu aliado Michel Temer.

Para Temer a Lava Jato já foi longe demais e a aliança da Rede Globo com os procuradores de Curitiba, que não passam de inimigos também e, nesse sentido uma reportagem da Rede Record que questiona a Globo por tentar impedir a delação de Palocci, que pode atingir a própria Globo, certamente que poderá ser um fator de radicalização na guerra que esta sendo travada.

Assim, o que fica evidente é que a Rede Record escolheu o lado de Temer em uma iniciativa que poderá custar muito caro para ela se Temer cair. Ou seja, nós próximos dias e meses poderemos ter uma luta fratricida dentro das hostes dos golpistas em um processo cujo desfecho ninguém pode prever. (Do blog Essência Além da Aparência)

Carta Campínas



Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário: