Dos dez títulos que compõem a lista dos mais vendidos da livraria oficial da Flip, sete foram escritos por autores negros e um deles é uma biografia sobre um autor negro


Fim da Flip, hora de recuperar as panturrilhas, mas também de fazer balanços e, claro, colher os louros. A Travessa, livraria oficial do evento que acabou no último domingo, divulgou a lista dos dez títulos mais vendidos nos quatro dias de festa.

Scholastique Mukasonga, um dos destaques da programação da Flip, emplacou dois títulos na lista dos mais vendidos da Travessa, livraria oficial do evento | © Divulgação / Flip


No topo da lista, Na minha pele (Companhia das Letras), de Lázaro Ramos. Na sequência, aparece A mulher dos pés descalços (Nós), de Scholastique Mukasonga, e Lima Barreto – Triste visionário (Companhia das Letras), biografia do autor homenageado escrita por Lilia Moritz Schwarcz.

Nossa Senhora do Nilo (Nós), também de Scholastique, terminou a Flip em quarto lugar, seguida por Com o mar por meio (Companhia das Letras), de Jorge Amado e José Saramago; Esse cabelo (LeYa), de Djaimilia Pereira de Almeida; Diário do hospício / Cemitério dos vivos (Companhia das Letras), de Lima Barreto; Para educar crianças feministas (Companhia das Letras), de Chimamanda Adichie; O vendido (Todavia), de Paul Beatty, e Bíblia: Novo Testamento – Os quatro Evangelhos (Companhia das Letras), traduzida por Frederico Lourenço.

Importante notar que dos dez títulos, sete foram escritos por autores negros e um deles é uma biografia sobre um autor negro. Interessante observar também que dos dez, seis são da Companhia das Letras.

PublishNews
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário: