Durante o lançamento do Memorial da Democracia, em Belo Horizonte (MG), ex-presidente ressaltou que é preciso retomar a democracia para que a população volte a ter seus direitos garantidos.


Ex-presidente Lula durante o lançamento do Memorial da Democracia: "Pobre na universidade não é ruim para a democracia, é essencial". Foto: Ricardo Stuckert



O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou nesta segunda-feira (10), em Belo Horizonte (MG), do lançamento da 2ª fase do projetoMemorial da Democracia.

O Palácio das Artes, onde a cerimônia foi realizada, ficou completamente lotado para o evento, que contou com a presença do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, do coordenador do Memorial da Democracia, Franklin Martins, além de historiadores, intelectuais, trabalhadores e representantes de movimentos sociais e partidos políticos.

Durante o lançamento, Lula afirmou que é preciso retomar a democracia no Brasil para o povo voltar a ter seus direitos garantidos. "Parece fácil, mas nem todo mundo consegue entender a importância da democracia. O povo que não conhece a sua história e o seu passado não terá a chance de construir um futuro melhor", acredita o ex-presidente.

Para Lula, o golpe parlamentar contra a ex-presidenta Dilma Rousseff está afetando diretamente os mais pobres. "No meu governo e da Dilma, o Palácio do Planalto passou a receber sem-teto, quilombolas, indígenas e toda a sociedade brasileira. Eu nunca vi tanto ódio disseminado neste país como eu vi em 2013. Eu imaginava que era contra o Lula, mas era contra a democracia", disse. 

Lula durante o lançamento do Memorial da Democracia, em Belo Horizonte (MG). Foto: Ricardo Stuckert 



Para ver as fotos do lançamento em alta resolução, clique aqui.

Veja as principais falas do ex-presidente durante o evento:

Democracia

Não acreditava que fosse possível um trabalhador chegar à presidência. Em 89, por meio da democracia, descobri que era possível. Espero que retomemos a democracia no Brasil para que possamos investir mais em saúde, inclusão social e educação. Precisamos de mais gente pobre na universidade, mais gente pobre trabalhando. Democracia é para as pessoas serem felizes. É importante ter claro que a democracia exige compromisso. Qual é o estado democrático que queremos construir no futuro?

Instituições desmoralizadas


Hoje nós estamos com as instituições todas desmoralizadas. Ninguém acredita em ninguém. Ninguém acredita no poder judiciário, na Presidência da República, na Câmara dos Deputados. Essa negação de tudo não ajuda em nada. É por isso que não existe saída fora da política. Fazer política é discutir os problemas e suas soluções.

Foto: Ricardo Stuckert

Fora Temer


Já perceberam que estamos gritando Fora Temer há mais de um ano? E que, de repente, a Globo resolve dar um golpe no Temer? Será que a razão pela qual a Rede Globo quer derrubar o Temer é a mesma razão pela qual eu quero? Eu quero derrubar o Temer porque quero reconquistar a democracia para que o povo tenha direito de eleger o presidente da República. Porque sou contra as reformas que eles estão fazendo. Não podemos jogar a crise econômica em cima do aposentado, do pescador.

Pagar a conta


É preciso que os ricos desse país entendam que têm responsabilidade de pagar a conta. Não é para ficar com raiva quando a empregada doméstica garante seus direitos e diz que quer férias para viajar de avião para a sua terra. Não é para ficar com raiva, é para ficar orgulhoso. Significa que as pessoas estão tendo acesso aos bens de consumo. Democracia não é casa grande para um lado e senzala para outro. Democracia é direitos iguais para todos.

Lula
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;