O Globo





Manchete : Investimento público terá a menor taxa em 15 anos


Indicador está em 0,39% do PIB, patamar mais baixo desde 2003

Quadro é resultado da deterioração fiscal. Integrantes de pastas ligadas à infraestrutura relatam falta de dinheiro até para despesas de custeio, como aluguéis

A necessidade de honrar a meta de déficit fiscal de R$ 139 bilhões, em um cenário de receitas em queda, obrigou o governo a derrubar o investimento público. A taxa em proporção do PIB caminha para seu menor nível desde 2003, quando atingiu 0,3%, segundo levantamentos do Ipea e do pesquisador do Ibre/FGV Manoel Pires.

O setor de infraestrutura tem sido o mais afetado por cortes. Faltam recursos para terminar obras como a ponte sobre o Rio Guaíba (RS) e a transposição do Rio São Francisco. A expectativa de alguma melhora nos investimentos recai sobre o setor privado. (Pág. 15)



PF abandona a operação com avião ‘espião’, que deveria combater crimes


Planejados como arma de inteligência para combater o crime, os veículos aéreos não tripulados (vants), comprados pela Polícia Federal, estão abandonados em um hangar no Paraná, sem manutenção, informa GUILHERME AMADO. A PF chegou a projetar a aquisição de 14 unidades. (Pág. 3)


Estado é o alvo


Familiares de PMs assassinados protestam em Copacabana. Com um morto ontem, Rio teve este ano 91 execuções de policiais. Em três meses, SP registrou 15. (Pág. 7)


MP: ação do tráfico na saúde é grave


A promotora da Coordenação da Saúde do Ministério Público Estadual do Rio, Denise Vidal, disse que o controle das UPAs pelo tráfico, revelado pelo GLOBO, é grave e exige medidas imediatas. (Pág. 8)



Petrobras reajusta gasolina de novo


Com sua política de revisões frequentes, a Petrobras elevou, no sábado, os preços de gasolina e diesel nas refinarias, em 1,4% e 0,2%, respectivamente. Na sexta, após a alta do PIS/Cofins, a estatal já havia feito reajuste. (Pág. 16)


Odebrecht: Fachin perde inquéritos


Embora Edson Fachin relate a Lava- Jato, 50% dos inquéritos abertos no STF a partir da delação da Odebrecht devem ser redistribuídos. Outros ministros assumem casos sem relação com a Petrobras. (Pág. 5)



Novo ministro da Cultura quer financiar carnaval (Pág. 10)





------------------------------------------------------------------------------------

O Estado de S. Paulo





Manchete : Câmara quer mudar delação premiada e prisão preventiva


Novo Código de Processo Penal também pode alterar condução coercitiva

Deputados discutem mudanças nas regras de delação premiada, prisão preventiva e condução coercitiva. Também estudam revogar o entendimento de que penas podem começar a ser cumpridas após condenação em segunda instância. O debate vem sendo feito na comissão especial que discute o novo Código de Processo Penal (CPP) e atinge medidas que viraram pilares da Lava Jato. A expectativa é de que o relator, João Campos (PRB-GO), entregue seu parecer em agosto. Com isso, o projeto pode ser votado até outubro no plenário da Câmara. Atualmente, a delação premiada é regulada pela lei de organizações criminosas, de 2013. No atual código, a prisão preventiva não tem duração determinada e a condução coercitiva não prevê punição em caso de uso abusivo. A reforma do CPP ficou esquecida na Câmara até 2016, quando foi desengavetada pelo então presidente, Eduardo Cunha. (Política A4)


Programas de demissão nas estatais atingem 77% do alvo


Com orçamento apertado e despesas de pessoal cada vez maiores, o governo federal desligou 50.364 funcionários das estatais nos últimos anos com programas de demissão voluntária e aposentadoria incentivada. O número – levantado a partir de dados do Ministério do Planejamento e das próprias estatais – representa 77% do público-alvo. O governo comemora o resultado. Os desligamentos já representam 9,6% do total de empregados das empresas federais e devem crescer ao longo do ano, já que há ainda vários programas em aberto, como os da Dataprev e da Eletrobrás. (Economia B3)


Perfil - Vicente Cândido (PT)


RELATOR DA REFORMA POLÍTICA

DE CARTOLA DA CBF A PAI DE EMENDA PRÓ-LULA

Relator da reforma política, o deputado federal Vicente Cândido (PT-SP) ganhou destaque ao incluir no projeto emenda que ajudaria o ex-presidente Lula. Diretor de Relações Internacionais da Confederação Brasileira de Futebol, cargo pelo qual recebe R$ 35 mil mensais (que se somam aos R$ 33,7 mil do salário da Câmara), ele é um dos líderes da bancada da bola, integra lobby pró-jogo e defende anistia a caixa 2. (Política A6)


‘Eleição é chance de corrigirmos a rota’, diz Setubal


Presidente da Itaúsa, Alfredo Setubal vê recuperação lenta da economia e acredita que as eleições de 2018 vão definir o rumo do País. A holding tem cerca de R$ 3 bilhões para investir, mas não quer entrar em setores regulados pelo governo. (Economia B1)


Crescem denúncias de maus-tratos em clínicas psiquiátricas


A cada três dias, uma denúncia de maus-tratos é recebida pelo Ministério dos Direitos Humanos. Em 2016, foram 143 queixas de violações em manicômios, hospitais psiquiátricos ou casas de saúde, um aumento de 48,9% em relação a 2015. (Metrópole A11)


Maduro ameaça prender 33 juízes (Internacional A9)





Cida Damasco


Mercados ainda resistem à crise política, mas área fiscal expõe governo sob pressão. (Economia B4)


Notas&Informações


A miséria da esquerda - Os intelectuais petistas começam a admitir em voz alta: a esquerda – como eles a entendem – é totalmente dependente de Lula para existir
como força eleitoral. (A3)

Trabalho inconcluso (A3)


------------------------------------------------------------------------------------

Folha de S. Paulo





Manchete : Professor chega a faltar 30 dias por ano em SP


Licença médica é motivo da maioria das ausências nas redes públicas

Professores das escolas públicas do Estado de São Paulo faltam em média 30 dias por ano, ou 15% do total de 200 dias letivos que as instituições são obrigadas a cumprir pela legislação. Licenças médicas representam 60% das ausências nas redes do Estado e da capital paulista. No resto das prefeituras, a média é 39%. Os dados são de 2015. Os resultados consideram levantamento de fiscalização feito pelo Tribunal de Contas do Estado nos municípios paulistas. As informações da prefeitura de São Paulo e do governo estadual foram obtidas nas respectivas secretarias de Educação.

O absenteísmo expõe as precariedades de uma carreira cujo salário médio equivale à metade do que ganham profissionais de mesma escolaridade. Docentes têm sobrecarga de trabalho em casa de até 14 horas semanais, o que impacta na saúde, diz a Confederação Nacional dos Trabalhadores de Educação. Segundo a pasta de Educação da gestão Alckmin (PSDB), a média anual de faltas na rede caiu de 28 para 24 dias de 2015 para 2016. A gestão Doria (PSDB) informou ter mudado cálculo de bônus a educadores, e que ausências, agora, têm maior peso negativo. (Cotidiano B1)


Em SP, juízes fracionam férias a custo milionário


Desde 2013, nove em cada dez juízes do Tribunal de Justiça de SP tiraram férias fracionadas. Só em 2016, o expediente, vetado por lei, custou R$ 148 milhões. Para o TJ-SP, a prática ê de interesse público pois “há poucos juízes para muitos casos”. A associação paulista da classe defendeu “direitos da magistratura”. (Poder A4)


Saque do FGTS tem tentativa de vender serviços bancários


Trabalhadores relatam sofrer pressão em agências da Caixa para contratar produtos do banco como condição para ter seu FGTS liberado. Contratação de seguro e abertura de poupança estão entre os serviços oferecidos. A Caixa diz que esta não é a política do banco e que não vincula aquisições aos saques.(Folhainvest A15)


Entrevista da 2a. - Raí : Empresas não devem mais bancar clubes corruptos (A 14)





Rio perde o 91° PM no ano; familiares fazem protesto


Um sargento morreu baleado durante ronda no Vidigal, zona sul do Rio, na madrugada de domingo (23). Neste ano já são 91 PMs assassinados no Estado. A comunidade é próxima a Pavão-Pavãozinho, onde houve confronto entre PMs e criminosos no sábado (22). Na sexta (21) um soldado também foi morto a tiros na Baixada Fluminense. Parentes de policiais protestaram em Copacabana. (Cotidiano B5)


Celso Rocha de Barros


Bolsonaro é o Brasil que desiste de ser moderno (Poder A8)


Vinícius Mota


De cada R$ 100 que o governo ofereceu via FGTS, agora subtrai R$ 25 pela gasolina. (Opinião a2)


Editoriais


Leia “Temer ruralista”, sobre medidas do governo alinhadas a interesses do setor agrícola, e “Verde na Augusta”, a respeito de criação de parque. (Opinião a2)


------------------------------------------------------------------------------------

Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário: