O Globo



Manchete: Lula é o primeiro ex-presidente condenado


Pena é de 9 anos e seis meses por corrupção e lavagem Defesa se queixa de perseguição política e diz não haver provas

Na sentença, Moro afirma que não pediu prisão ‘por prudência’

Defesa se queixa de perseguição política e diz não haver provas

O petista Luiz Inácio Lula da Silva é, desde ontem, o primeiro ex-presidente condenado na História do Brasil. O juiz Sergio Moro aplicou sentença de 9 anos e seis meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Lula foi considerado culpado por ter recebido um tríplex no Guarujá como propina da construtora OAS, que fora beneficiada em contratos na Petrobras. No mesmo processo, ele foi absolvido do armazenamento irregular de bens da Presidência. Moro afirma na sentença que só não decretou a prisão de Lula “por prudência”, por achar que a medida provocaria “certos traumas” no país. Ele proibiu o ex-presidente de ocupar cargos públicos por 19 anos, o que precisará ser confirmado em segunda instância. Tanto a defesa de Lula quanto o Ministério Público Federal vão recorrer da sentença. Com isso, caberá a três desembargadores do Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região, em Porto Alegre, decidir se o ex-presidente ficará impedido de disputar as eleições de 2018 e se será preso. Em média, o TRF leva de dez meses a um ano para julgar os recursos. Moro disse que não teve “qualquer satisfação pessoal” com a decisão: “É de todo lamentável que um ex-presidente seja condenado criminalmente, mas a causa disso são os crimes por ele praticados e a culpa não é da regular aplicação da lei”, afirmou. Para a defesa de Lula, a sentença tem conotação política e “envergonha o Brasil”. Petistas criticaram Moro, mas, nas ruas, a reação limitou-se a um pequeno protesto em São Paulo. Lula ainda é réu em outros quatro processos e responde a inquéritos. (Págs. 3 a 20)


‘Condenação de Lula é símbolo no combate à corrupção’


Editorial

A condenação de Lula no caso do tríplex do Guarujá é um marco no combate à corrupção, símbolo fortalecido pela coincidência com a acusação ao atual presidente, Michel Temer. (Pág. 16)


Câmara resiste a mexer na nova lei trabalhista


MP será enviada para debate pelo Congresso. Conselho de Ética avaliará conduta de senadoras que ocuparam Mesa (Págs. 27 a 30)


Colunistas


MERVAL PEREIRA

Confirmação será o fim da vida pública. (Pág. 4)

VERISSIMO

O justiceiro em sua sala de troféus. (Pág. 13)

MÍRIAM LEITÃO

Lula tentará fugir pela política. (Pág. 28)

ANCELMO GOIS

Ex-líder operário foi promíscuo com picaretas. (Pág. 12)

LAURO JARDIM

Candidatura é a alternativa à prisão. (Pág. 12)

RICARDO NOBLAT

Biografia foi manchada para sempre. (Pág. 12)

JOSÉ CASADO

O clube dos caciques condenados. (Pág. 12)

PEDRO DORIA

Ex-presidente traiu o país duas vezes. (Pág. 13)

CORA RÓNAI

Caso revelou apego aos badulaques. (Pág. 13)

JOAQUIM FALCÃO

Na esfera judicial, o jogo só começou. (Pág. 13)


------------------------------------------------------------------------------------

O Estado de S. Paulo





Manchete: Moro condena Lula


9 anos e 6 meses de prisão

19 anos sem cargos públicos

Cabe recurso e ex-presidente responderá em liberdade - Juiz alega ‘prudência’ para não decretar prisão preventiva - PT afirma que sentença é perseguição política - Ibovespa chega ao maior nível desde 17 de maio

O juiz Sérgio Moro condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá (SP). Primeiro ex-presidente da República condenado por crime comum no País, o petista também foi proibido de assumir cargos ou funções públicas por 19 anos. Moro considerou existirem provas para condenação de Lula pelo recebimento de R$ 2,2 milhões em propinas, da construtora OAS, por meio do imóvel, que foi confiscado. Cabe recurso da decisão e o ex-presidente, que é réu em outras quatro ações penais, vai responder em liberdade. Moro argumentou que não pediu a prisão cautelar porque “a prudência recomenda que se aguarde o julgamento” de um recurso. Procuradores que integram força-tarefa da Lava Jato consideraram a pena branda e vão recorrer. Se a decisão de Moro for confirmada em 2.ª instância, Lula – que age como pré-candidato à Presidência em 2018 – ficará inelegível. Petistas foram às ruas e às redes sociais para classificar a sentença, de 218 páginas, como perseguição política. O Ibovespa, que já operava em alta após a aprovação da reforma trabalhista, atingiu o maior nível desde 17 de maio, quando foi divulgado o áudio da conversa entre o presidente Michel Temer e o empresário Joesley Batista. (POLÍTICA / PÁGS. A4 a A10)


Colunistas


Eliane Cantanhêde

Condenação esquenta o pró-Lula e o a favor da prisão dele. (PÁG. A8)

FUNDADO EM 1875

Vera Magalhães PT manterá Lula no palanque porque é seu salvo-conduto. (PÁG. A9)

José Roberto de Toledo

Consequência imediata é o aumento da polarização política. (PÁG. A6)


Reforma trabalhista só vale para novos contratos


Mudanças como férias em três períodos e menor intervalo de almoço só valerão para contratos assinados depois de novembro. Embora tenha se comprometido a editar medida provisória para ajustar temas da reforma, o governo afirmou que isso ainda está em estudo. (ECONOMIA / PÁGS. B1 e B3)


Michel Temer


Nenhum direito a menos

Modernização da legislação trabalhista é grande conquista para empregadores e trabalhadores e para a construção de um país mais competitivo. (ESPAÇO ABERTO / PÁG. A2)


Notas & Informações


A condenação de Lula da Silva

Líder petista, em vez de alimentar pretensões de voltar à Presidência da República, deve antes acertar as contas com a Justiça. (PÁG. A3)


------------------------------------------------------------------------------------

Folha de S. Paulo





Manchete : Moro condena ex-presidente Lula a 9 anos de prisão no caso tríplex


Petista recorrerá em liberdade de sentença que, se confirmada, pode torná-lo inelegível; defesa fala em perseguição política

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), 71, foi condenado ontem a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. A sentença do juiz Sergio Moro ainda será analisada na segunda instância, pelo Tribunal Regional Federal da 4a Região, em Porto Alegre. Se for confirmada, Lula poderá ser preso e ficar inelegível. De acordo com Moro, o petista é culpado de ter recebido um apartamento tríplex em Guarujá (SP) como propina da construtora OAS. O magistrado diz que há provas documentais e testemunhais conclusivas sobre a propriedade do imóvel. Segundo o juiz, Lula “foi beneficiado materialmente por débitos da conta geral de propinas, com a atribuição a ele e a sua esposa [Marisa Letícia], sem o pagamento do preço correspondente, de um apartamento tríplex, e com a realização de custosas reformas no apartamento”. Lula é o primeiro ex-presidente da República e o terceiro ex-presidente do PT a ser condenado. A notícia devolveu o mercado financeiro ao patamar anterior à delação da JBS: a Bolsa encostou nos 65 mil pontos, e o dólar caiu para perto de R$ 3,20. (Poder A4)

Flávio Ferreira

Dose interpretativa está explícita em argumento de Moro (Poder a6)

Leandro Colon

Gangorra política dá fôlego de curto prazo para presidente Temer (Poder a9)

Janio de Freitas

É mais fácil encontrar motivo da condenação de Lula fora dos autos (Poder a13)

Roberto Dias

Lava Jato faz tardio acerto de contas com maiores poderosos (Opinião a2)


Juiz desprezou provas, afirma advogado do ex-presidente


Advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins afirmou que o juiz Sergio Moro desprezou as provas da inocência e usou o processo para fins de perseguição política. Segundo ele, que insistiu não haver provas de que o ex-presidente era dono do tríplex, a condenação deixou Lula com uma “indignação natural”. O petista ainda responde a outros quatro processos na Justiça. (Poder A8)


Justiça autoriza Geddel a cumprir prisão domiciliar


O ex-ministro Geddel Vieira Lima recebeu autorização para sair da penitenciária da Papuda, em Brasília, e cumprir prisão domiciliar. O desembargador Ney Bello afirmou que a suspeita de tentar obstruir investigações não se confirma. A Procuradoria pode recorrer. (Poder A12)


Decisão de corte definirá futuro eleitoral do petista


Se a condenação de Lula for mantida pelo Tribunal Regional Federal em Porto Alegre, ele será considerado inelegível e terá que recorrer a tribunais superiores para tentar se candidatar. No ritmo médio de julgamento da corte (1 ano e 4 meses), a decisão ocorreria após a campanha de 2018. (Poder A7)


Chefe da Câmara aceita revisar a reforma da CLT


Horas após negar a possibilidade, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), disse que aceitará pôr em votação medida provisória do Planalto que fará ajustes na recém-aprovada reforma trabalhista. Dependerá, afirma, de haver um consenso entre os congressistas. (Mercado A19)


J&F, dona da JBS, vende Alpargatas por R$3,5 bilhões a acionistas do Itaú (Mercado a23)





Mônica Bergamo


Por apoio político, Maia diz que não tentaria reeleição

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já busca convencei políticos de que não será candidato à reeleição em 2018 caso substitua Temer. Tenta assim diminuir a resistência de outros presidenciáveis a seu nome. Quase ninguém acredita. (Ilustrada C2)


Editoriais


Leia “Lula condenado”, sobre processo por corrupção contra o ex-presidente, e “Depois de Mossul”, acerca da derrota do Estado Islâmico. (Opinião a2)


------------------------------------------------------------------------------------

Mídia
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;