Em entrevista ao deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS), transmitida ao vivo pelo Facebook, o ex-presidente Lula criticou as ações da Lava Jato; "Eu disse para o (Sérgio) Moro que a gente pode ter um processo sério de apurar a corrupção sem quebrar a economia brasileira e utilizando a inteligência. Eles não estão procurando a verdade. Eles estão procurando manchetes de jornais", disse; para o petista, os procuradores da Lava Jato estão com mais problemas que ele: "Eu já provei minha inocência. Quero saber como eles vão provar as mentiras que foram contadas a meu respeito"; Lula alertou que está em curso um processo de desmonte da soberania nacional: "Estão as nossas terras, a Petrobras, tudo. Querem vender a alma do País e impedir a ideia de nação", denunciou




247 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a criticar o desmonte da soberania nacional e a atual situação política do País. Lula deu suas declarações firmes em entrevista ao deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS), numa bate-papo transmitido, ao vivo, pelo Facebook do parlamentar, na manhã desta quinta-feira.

Lula defendeu que o processo de combate à corrupção no Brasil seja tocado sem prejudicar a economia e a soberania do País. "Eu disse para o (Sérgio) Moro que a gente pode ter um processo sério de apurar a corrupção sem quebrar a economia brasileira e utilizando a inteligência. Eles não estão procurando a verdade. Eles estão procurando manchetes de jornais. Na manchete eles imaginam que podem condenar as pessoas", disse o ex-presidente logo no começo da transmissão.

Ao deputado Pimenta, Lula disse estar de cabeça erguida, pois já provou ser inocente. "Como eu não tenho rabo preso e já provei minha inocência, eu resolvi enfrentar essa situação de cabeça erguida para garantir o Estado Democrático de Direito desse País". O ex-presidente afirmou que o PT é o partido que mais quer afastar Michel Temer da presidência porque "ele está lá ilegalmente".

Lula afirmou que a Globo está tentando criar um candidato para a eleição presidencial de 2018. Mas, alertou que o povo brasileiro não aguenta mais a atual situação do Brasil. "Não se o povo aguentará... O desemprego é muito grande, as crianças voltaram a pedir esmola no semáforo, as pessoas estão dormindo nas ruas".

Soberania


O ex-presidente fez questão de destacar o desmonte do Estado brasileiro. Lula foi taxativo ao afirmar: "Eles estão destruindo a soberania nacional. Querem destruir o que nós construímos, que é a ideia de nação. Há desmonte na Petrobras, estão vendendo nossas terras aos estrangeiros. É um processo de desmonte do Estado Brasileiro".

Para o petista o Brasil voltou a ter o complexo de vira-lata e lembrou que o Chefe do Gabinete Institucional, Sérgio Etchegoyen, se reuniu coma CIA sem necessidade. "Querem vender a alma do país. Querem acabar com a ideia de que podemos ser uma grande nação". Lula disse que estão "abrindo mão de tudo" em nome de "um desenvolvimento": "Querem vender tudo que nós temos".

PT


No final da entrevista, Lula afirmou que, apesar de todos os defeitos, o PT segue sendo melhor que "todos eles juntos", numa alusão à Globo e aos outros partidos. "Fizeram uma pesquisa e o PT foi o partido mais querido. Deve ser uma coisa muito triste para eles".

Inocência


O ex-presidente encerrou dizendo que os procuradores da Lava-Jato estão com mais problemas que ele. "Porque eu já provei minha inocência. Eu quero saber como eles vão provar as mentiras que foram contadas a meu respeito".

"Meu papel é provar minha inocência e o deles é pedir desculpas para mim, não sei quando", disse Lula.

Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis cliente. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;