EFE/Gary Williams


Um homem de 45 anos que roubou US$ 1.119 de um banco de Cayo Hueso, no extremo sul da Flórida, nos Estados Unidos, sem usar armas nem cobrir o rosto, disse à polícia que queria retornar à prisão quando foi detido 20 minutos depois do crime, de acordo com documentos judiciais que a Agência Efe teve acesso nesta quinta-feira.

Na última segunda-feira, Jonathan Robert Meyers só usou uma nota na qual tinha escrito "me dê todo o dinheiro, sei onde você vive" e uma sacola plástica para levar essa soma de dinheiro, que foi recuperada integralmente pela polícia após sua prisão.

Com medo de que Meyers pudesse fazer algo com ela e sua família, a caixa do banco de Cayo Hueso entregou a ele o que tinha em mãos e depois comunicou o roubo a seus colegas, além de ativar o alarme.

Naquele momento, o homem foi gravado pelas câmeras de segurança do banco e a polícia não teve que se esforçar muito por capturá-lo.

Os agentes o encontraram 20 minutos depois do roubo a duas quadras do banco. Ao ver à polícia, Meyers tentou se livrar do dinheiro e o jogou por cima de uma cerca.

Ontem, o homem foi indiciado por roubo de banco e amanhã, sexta-feira, deverá comparecer a um tribunal.

A agente especial do FBI Rhonda Squizerro indicou que Meyers disse aos agentes que tinha pensado em roubar outro banco, mas que desistiu ao perceber que havia muita gente no local.

"Meyers admitiu o roubo e disse que queria voltar à prisão", indicou a agente no documento de acusação.

Agencia EFE
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;