O Globo



Manchete: Travessia de alto risco
Linha Vermelha já teve de ser fechada 14 vezes este ano por causa de tiroteios

Motoristas que atravessam uma das principais vias expressas do Rio enfrentam rotina de violência marcada por confrontos, como os que aconteceram no domingo, e arrastões. Batalhão que atua na área perdeu 200 homens

Fechada duas vezes no domingo por causa de tiroteios, a Linha Vermelha já teve de ser interditada 14 vezes este ano devido à troca de tiros junto às pistas, segundo a CET-Rio. Levantamento de aplicativo mostra que houve pelo menos um evento de risco, como tiroteios e arrastões, a cada cinco dias. Sem poder de reação, o batalhão de vias especiais sofreu redução de 200 policiais desde janeiro. Ao substituir Pezão, de licença médica, Dornelles disse que a situação da segurança está “calamitosa”. (Pág. 9)

ANCELMO GOIS

Violência faz campeão da Copa de 1994 deixar o Rio. (Pág. 10)



Eletrobras pode vender 14 usinas
Aprovada a reforma do setor elétrico, a Eletrobras avalia vender 14 hidrelétricas das subsidiárias Chesf, Furnas e Eletronorte, informa MANOEL VENTURA. Boa para o caixa da estatal, a privatização pode elevar as contas de luz, admite o próprio governo. (Pág. 17)


Reforma deve alterar cobrança do PIS/Cofins (Pág. 18)



País criou 67 mil vagas até junho
Pela primeira vez desde 2014, o Brasil criou empregos formais no primeiro semestre, com a abertura de 67.358 vagas. O resultado foi impulsionado pela agricultura. (Pág. 19)


Janot: sem pressa para a 2ª denúncia (Pág. 5)



Nova droga para diabetes
Medicamento que une duas substâncias já usadas por diabéticos é aprovado. (Pág. 24)


------------------------------------------------------------------------------------

O Estado de S. Paulo



Manchete: Deputados querem ‘distritão’ para garantir novo mandato
Pelo sistema, seriam eleitos os candidatos mais votados em cada Estado. Hoje, pelo sistema proporcional, isso não basta

Deputados de PMDB, PSDB e ao menos oito partidos do Centrão fizeram acordo para incluir na proposta de reforma política – a ser analisada em agosto na Câmara – artigo que cria o “distritão”. Pelo sistema, seriam eleitos os candidatos mais votados em cada Estado. Hoje, isso não basta. No sistema proporcional, soma-se o número de votos de todos os candidatos e na legenda e, a partir daí, define-se quantos assentos o partido terá direito – daí a importância dos candidatos que “puxam” votos. O “distritão” é visto pelos atuais deputados como forma de tentar assegurar a própria reeleição. A ideia é apresentar a proposta de emenda durante as discussões do texto do relator da reforma política, Vicente Cândido (PT-SP). Como o petista sugere um sistema “transitório” para as eleições de 2018, os parlamentares articulam o “distritão” como sistema permanente. (POLÍTICA /PÁG. A4)


Janot diz não ter pressa
Nos EUA, onde participa de eventos, o procurador Rodrigo Janot disse que “não tem pressa” para apresentar nova denúncia contra Temer e, sem citar nomes, que “ninguém se sente feliz concedendo imunidade a criminoso”. (PÁG. A6)


Governo deve suspender liberação de R$ 4 bilhões
A equipe econômica praticamente descartou a possibilidade de liberar R$ 4 bilhões, até o final do mês, para atender os órgãos com maior dificuldade em prestar os serviços públicos. A arrecadação prevista deve ficar abaixo do esperado com as mudanças feitas, na Câmara, na MP do Refis e a baixa adesão à segunda fase do programa de repatriação de recursos no exterior. (ECONOMIA / PÁG. B1)


País cria 67 mil vagas de trabalho no 1º semestre
Dados do Ministério do Trabalho mostram que, impulsionado pelo setor agropecuário, o País fechou o primeiro semestre com geração de 67,4 mil postos de trabalho com carteira assinada. Foi o melhor resultado desde a primeira metade de 2014. (ECONOMIA / PÁG. B4)


Bancos travam verba do BNDES a micronegócios
Pequenos negócios têm dificuldades para obter empréstimos do BNDES. Os bancos que repassam essa linha dizem que o risco é elevado. Os desembolsos para micro, pequenas e médias empresas caíram 60% de janeiro a maio. (ECONOMIA / PÁG. B5)


UTC pede recuperação após acordo de leniência (Economia / Pág. B8)



Oposição marca greve geral contra Maduro (Internacional / Pág. A9)



Eliane Cantanhêde
Não é para eleger Lula nem Bolsonaro que a Operação Lava Jato refunda o Brasil. (POLÍTICA / PÁG. A6)


Notas & Informações
Protecionismo suicida

Relatório da OMC aponta que o Brasil foi o maior perdedor da política industrial e comercial praticada no governo petista e ainda parcialmente em vigor. (PÁG. A3)

Desrespeito pelos contribuintes

Dilma Rousseff faz turnê para atacar Estado brasileiro. (PÁG. A3)


------------------------------------------------------------------------------------

Folha de S. Paulo



Manchete : Janot diz não ter pressa em nova denúncia contra Temer
Planalto tenta conter divisão na base; PMDB vê ao menos 8 contra presidente

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse não ter pressa para apresentar nova denúncia contra o presidente Michel Temer. “Se alguma investigação estiver madura até 15 de setembro [último dia útil do procurador no cargo], ofereço a denúncia”, afirmou. Em evento nos EUA, Janot disse que aceitaria “com a maior naturalidade” eventual rejeição pela Câmara da abertura de investigação contra Temer com base em denúncia por corrupção passiva apresentada por ele. A votação sobre o tema foi marcada para 2 de agosto. Janot disse ter pensado que fosse mentira quando recebeu os primeiros relatos de corrupção da JBS que envolviam o presidente. O Planalto atua para evitar uma dissidência expressiva na base governista, inclusive no próprio PMDB, na votação da denúncia. O comando do partido de Temer calcula que ao menos oito deputados — mais de 10% dos 63 integrantes da bancada— podem ficar contra o presidente. (Poder A4 e A6)


Agricultura salva emprego formal no 1° semestre
Graças à agricultura, responsável por 117 mil vagas, o Brasil fechou o primeiro semestre com geração de 67,3 mil postos de trabalho com carteira assinada, entre contratações e demissões — melhor resultado desde 2014. Em junho, com a criação de 9.800 vagas, pelo terceiro mês seguido o emprego formal cresceu. O número, porém, ficou abaixo do esperado pelo mercado. (Mercado A13)


Mercado aposta em queda maior da taxa de juros
A lenta recuperação econômica, a inflação baixa e o impacto da crise política menor que o previsto ampliam a expectativa do mercado de que a taxa básica de juros caia em intensidade maior. Pesquisa do BC com mais de cem analistas aponta que a Selic, hoje em 10,25%, será de 8% em dezembro — até a eclosão do caso JBS, a projeção era de 8,5%. (Mercado A16)


Foto-legenda : Ressurgido
Eike Batista chega à Justiça Federal, no Rio; em depoimento, o empresário negou ter pago propina a Eduardo Cunha em processo que apura fraudes no FGTS (Poder a8)


Burocracia trava verba, e emissão de passaporte deve voltar até sexta (Cotidiano B4)



PF apura ligação entre Conmebol, empresa aérea e Chapecoense (B6)



EUA e Europa fazem ameaças contra Maduro
Os EUA e a União Europeia ameaçaram sanções contra o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, se ele mantiver a convocação da Constituinte rejeitada pela oposição em plebiscito neste domingo (16). O governo brasileiro pediu que a proposta seja cancelada. Maduro declarou que o país é soberano. “Ninguém nos dá ordens.” (Mundo A10)


Editoriais
Leia “A eleição e o teto”, sobre freio na expansão de gastos no pleito de 2018, e “Males peemedebistas”, a respeito de inquéritos contra líderes do partido. (Opinião a2)


------------------------------------------------------------------------------------

Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;