Na frente

A cada nova pesquisa, vai ficar cada vez mais claro por que Lula tem de ser impedido no tapetão de disputar as eleições de 2018.

Sergio Moro é a grande esperança branca para barrar a caminhada do ex-presidente.

Moro já foi longe demais e, como disse o próprio Lula em sua depoimento ao juiz, não pode mais recuar e deve cumprir o script dado pela Globo.

No primeiro levantamento depois da condenação a 9 anos e meio de prisão na Lava Jato, feito pelo Instituto Paraná, ele lidera em todos os cenários.

Num primeiro, Lula tem 25,8% da preferência dos eleitores, seguido pelo deputado Jair Bolsonaro (18,7%) e por João Dória (12,3%).

Joaquim Barbosa aparece com 8,7%, Marina Silva com 7,1% e Ciro Gomes com 4,5%.

Em outro cenário, em que aparece Geraldo Alckmin, Lula tem 26,1%, Bolsonaro 20,8%, Joaquim Barbosa 9,8% e o governador de São Paulo 7,3%.

Nas simulações de segundo turno, Lula também sai vencedor com 38,7%, seguido de Bolsonaro, com 32,3%. Contra Doria, seria 38,5% a 32,2% para Lula. Contra Alckmin, 39% a 26,9%.

A tábua de salvação era a rejeição. A de Lula aumentou — bem como a de seus concorrentes (veja o quadro abaixo).

Movido pela vaidade e pela farsa em que passou a acreditar — o poeta é um fingidor, finge tão completamente que finge ser sua a dor que deveras sente —, Sergio Moro vai continuar como o principal adversário de Lula para 2018.

O justo seria ele sair do púlpito e ir para a disputa nas urnas com seu inimigo, de igual para igual.

Afinal, eis o magistrado do cidadão de bem, cujo semblante aparece em estandartes de 10 entre 9 protestos fascistas, aclamado pela direita.

Mas não se trata de justiça e todo brasileiro sabe disso. Daqui em diante, cada pesquisa vai explicitar isso como um filme pornô.




DCM
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;