O Globo





Manchete : Denunciado, Temer parte para ataques a Janot


Presidente fala de revanche e insinua que procurador recebeu dinheiro

Procuradoria-Geral da República reage e afirma que denúncia encaminhada ao Supremo tem ‘fartos elementos de prova’ contra o peemedebista, acusado de corrupção passiva após delação da JBS

Um dia após ser denunciado ao STF por corrupção passiva, fato inédito na História do país, o presidente Temer usou como estratégia de defesa atacar o procurador-geral, Rodrigo Janot. Em pronunciamento no Planalto, disse que a denúncia está baseada em ilações e insinuou que Janot recebeu dinheiro por meio do ex-procurador Marcelo Miller, que deixou a PGR para trabalhar num escritório de advocacia que atuou para a JBS. Sobre a mala de dinheiro da empresa para Rocha Loures, Temer nada falou. Em nota, a Procuradoria- Geral da República afirmou que a denúncia é técnica e contém “fartos elementos de prova”. (Págs. 3 a 7)


Favorito de Janot é o mais votado da lista tríplice da Procuradoria


O subprocurador-geral Nicolao Dino foi o mais votado na lista tríplice da PGR (621 votos), seguido de Raquel Dodge (587) e Mario Bonsaglia (564), este considerado o preferido de Temer, a quem caberá a escolha. (Pág. 10)


De 66 deputados, só 4 assumem apoio


O GLOBO procurou os 66 deputados da CCJ e apenas quatro se dispuseram a defender a rejeição da denúncia contra Temer. (Pág. 8)


Após Moro condenar, TRF absolve Vaccari


Uma das condenações do ex-tesoureiro do PT João Vaccari pelo juiz Sergio Moro foi anulada pelo TRF-4, segunda instância. (Pág. 11)


Rio tem nova proposta de teto de gastos


Nova proposta do governo Pezão, a ser votada pela Alerj, prevê que gastos dos poderes no estado em 2018 serão limitados aos de 2015, corrigidos pela inflação do ano. Proposta inicial tinha como referência 2016, quando inflação foi menor. (Pág. 12)


Maduro convoca Forças Armadas


Com o país em grave crise, o presidente Maduro convocou as Forças Armadas após protestos próximos à sede do governo, em Caracas. Ele ameaçou “tomar as ruas com armas” contra a oposição. (Pág. 27)


Ciberataque atinge empresas e governos


Dois meses após o vírus Wanna Cry hackear 200 mil no mundo inteiro, novo ciberataque atingiu empresas e órgãos públicos de EUA e Europa. No Brasil, rede de hospitais foi afetada. (Pág. 24)


De dia, deputado, de noite, preso


Condenado a 7 anos de prisão por falsificação, o deputado Celso Jacob (PMDB-RJ) cumpre pena no regime semiaberto, mas, por decisão da Justiça, poderá continuar a exercer o mandato na Câmara. (Pág. 10)


Hand Spinner


O Ministério da Justiça apura irregularidades na venda do brinquedo no país. (Pág. 25)


Colunistas


MERVAL PEREIRA

Há provas do que houve no porão do Jaburu (Pág. 4)

MÍRIAM LEITÃO

Mesmo enredo de governos em queda (Pág. 23)

ELIO GASPARI

Temer se destrói pelas próprias lambanças (Pàg. 18)

LYDIA MEDEIROS

A volta da marca de outro presidente apeado do poder (Pág. 2)

RICARDO NOBLAT

Temer recorre a truques e foge de respostas (Pág. 3)

ZUENIR VENTURA

Moralmente, o governo já acabou (Pág. 19)

ROBERTO DAMATTA

Burocracia visa a manter privilégios (Pág. 19)


Editorial


‘Temer entra na História pela porta dos fundos’ (Pág. 18)


------------------------------------------------------------------------------------

O Estado de S. Paulo





Manchete : Temer faz ataques a Janot e afirma que denúncia é ‘ficção’


Presidente diz que ex-procurador Marcelo Miller, que ‘ganhou milhões’ ao aderir à equipe de defesa de Joesley Batista, é da ‘estrita confiança’ do procurador-geral

Em pronunciamento no qual disse estar preparado para a “guerra”, o presidente Michel Temer fez duros ataques ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e à denúncia apresentada contra ele. Acusado de corrupção passiva, Temer insinuou que Janot pode ter recebido dinheiro por meio do ex-procurador da Lava Jato Marcelo Miller. Segundo o presidente, Miller “ganhou milhões em poucos meses” após ingressar em escritório que negociou acordo de leniência do Grupo J&F. Temer citou o ex-procurador como homem da “mais estrita confiança” de Janot, mas negou que estivesse fazendo “ilação”. O presidente disse que a acusação contra ele é “ficção” baseada em “provas ilícitas”, chamou o trabalho de “trôpego” e disse que as regras da Constituição não podem ser “tripudiadas pela embriaguez da denúncia que busca a revanche, a destruição e a vingança”. Em nota, a Procuradoria- Geral da República afirmou que há “fartos elementos de provas” de crime. (Política A4 e A6 a A9)

PSDB ainda mais dividido

A denúncia contra Temer reforça inclinação de parte do PSDB em abandonar o governo. O Estado ouviu 31 dos 46 deputados da sigla e 15 disseram que votarão pela aceitação da denúncia (A9)

Aliado de procurador encabeça lista da PGR

Nicolao Dino, vice-procurador-geral eleitoral, encabeça lista tríplice para a sucessão de Janot – e tem o apoio deste. Raquel Dodge e Mario Bonsaglia completam os nomes que serão levados a Temer (A8)

Análises

Eliane Cantanhêde - Pintado para a guerra

Ao atacar Janot, Temer tem alvo: a Câmara, onde o procurador é visto como algoz dos políticos (A5)

Vera Magalhães - O que segura Temer

A economia e o PSDB são os dois fios cuja resistência será testada dia a dia, enquanto durar a crise (A8)

Rubens Glezer - Cortina de fumaça

Estratégia de defesa de Temer é retirar a atenção do debate sobre a denúncia de corrupção (A8)


Tribunal derruba decisão Saúde de Moro e absolve Vaccari


O TRF da 4.ª Região derrubou sentença do juiz Sérgio Moro e absolveu o ex-tesoureiro do PT João Vaccari da pena de 15 anos e 4 meses de prisão na Lava Jato. O petista era acusado por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Para os desembargadores, as provas são “insuficientes” e se basearam “apenas em delações premiadas”. (Política A10)


Procurador se opõe à lei de terceirização


Rodrigo Janot entrou com ação no STF contra a lei de terceirização. Para ele, há inconstitucionalidade na terceirização irrestrita nas empresas. (Economia B1 e B3)


PF paralisa emissão de passaportes


Polícia Federal suspendeu ontem a emissão de passaportes e alegou falta de recursos. Agendamentos, sem prazo para retirada do documento, continuam (Metrópole A18)


Governo estuda subir tributo de combustível (Economia B6)





Ciberataque atinge hospital do câncer (Economia B10)





Notas&Informações


A denúncia contra o presidente - A denúncia do procurador-geral Rodrigo Janot contra o presidente Michel Temer é inepta. O Supremo Tribunal Federal faria bem se mandasse arquivá-la (A3)

A lei é para todos - Escandaloso é o Estado permitir que a lei possa valer para uns e não para todos os presos (A3)


------------------------------------------------------------------------------------

Folha de S. Paulo





Manchete : Temer ataca Janot e diz que denúncia é ficção


Acusação, afirma, se vale de ilações; procurador diz ter ‘fartos elementos de prova’

Um dia após ser denunciado por corrupção, o presidente Michel Temer (PMDB) fez seu mais duro ataque contra o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Em discurso no Planalto, o peemedebista o acusou de buscar “vingança” e disse que ele se vale de “ilações” para acusá-lo sem provas. Na denúncia, Janot diz que Temer foi beneficiário de R$ 500 mil entregues a Rodrigo Rocha Loures pela JBS. O presidente pediu “provas concretas”. Disse que o procurador realizou trabalho trôpego e fez peça de ficção. Na tentativa de demonstrar força política, convocou aliados para o pronunciamento. O peemedebista ainda insinuou que o ex-procurador Marcelo Miller, a quem chamou de “homem da mais estrita confiança” de Janot, repassou ao procurador-geral parte dos seus honorários. Miller deixou o cargo em março para atuar em escritório que negociou acordo de leniência da JBS. Em nota, a Procuradoria diz que a denúncia é baseada em “fartos elementos de prova [...] que não deixam dúvida quanto à materialidade e à autoria do crime”. Sobre Miller, o órgão nega que ele tenha participado das negociações do acordo de delação com executivos da empresa. (Poder A4)


Tribunal reverte decisão de Moro e absolve Vaccari


O Tribunal Regional Federal da 4a Região, localizado em Porto Alegre, absolveu ontem o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto. Ele havia sido condenado em primeira instância, pelo juiz Sergio Moro, a 15 anos e quatro meses de prisão por lavagem de dinheiro, associação criminosa e corrupção. Para dois dos três juízes revisores, as provas se baseiam só em delações e, portanto, são insuficientes para condenação. A decisão pode servir de precedente em ações similares da Lava Jato. Vaccari, preso no Paraná, foi condenado por Moro em outros quatro processos que aguardam revisão. (Poder a10)


Dino, aliado do procurador-geral, lidera sucessão


Próximo do procurador-geral, Rodrigo Janot, Nicolao Dino foi o mais votado por membros do Ministério Público Federal e lidera lista para sucedê-lo a partir de setembro. Raquel Dodge e Mario Bonsaglia também estão entre os nomes. Temer já disse a assessores que não nomeará Dino para o cargo. (Poder A8)


Polícia Federal suspende emissão de passaportes (Cotidiano B4)





Helicóptero ataca corte venezuelana, afirma Maduro


O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse que um helicóptero da polícia lançou quatro granadas contra a sede do Tribunal Supremo de Justiça, em Caracas. Ele chamou o episódio de “ataque terrorista”. Em vídeo, o suposto autor da ação diz pertencer a coalizão de civis e militares que luta contra a tirania. (Mundo A13)


‘Não há lugar mais seguro que o Brasil’, diz Ricardo Teixeira


Suspeito de receber propina para ajudar a eleger o Qatar como sede da Copa-2022, Ricardo Teixeira, ex-presidente da CBF, chamou de “ridículas” as acusações. À Folha ele descartou fazer delação nos EUA e disse que não sairá do Brasil. (Esporte B6)


Análise - Rubens Valente


Ligar presidente a dinheiro é ponto frágil da denúncia

Uma das consequências da pressa da Procuradoria em concluir o caso é a ausência, na denúncia, de laudos bancários ou fiscais para comprovar conexões financeiras entre Loures e Temer. O “caminho do dinheiro” não foi desenhado. (Poder A8)


Editoriais


Leia “A agonia de Temer”, sobre denúncia de corrupção contra o presidente, e “Calmaria econômica”, acerca de impacto da crise política. (Opinião a2)


------------------------------------------------------------------------------------

Mídia
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;