Advogado criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, avalia que a decisão do TRF-4 que inocentou o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto de condenação do juiz Sérgio Moro baseada apenas em delações expõe o uso indiscriminado das prisões preventivas; "Todos nós queremos o combate a corrupção, mas dentro do respeito as garantias constitucionais", diz Kakay; "O que se pergunta agora é se a prisão preventiva de Vaccari era necessária. E, principalmente,quem devolverá a ele os 2 anos e 2 meses que ficou preso?! A enorme e humilhante exposição midiática , promovida pela Procuradoria e pelo juiz [Sérgio Moro] como parte de um programa de consolidar a lavajato, também fez danos irreversíveis a imagem, a família e aos amigos de Vaccari . Nada poderá devolver ao Vaccari a honra conspurcada. (...) É hora de reflexão e de reagir a estes absurdos", afirmou




247 - O advogado criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, comentou nesta quarta-feira, 28, a decisão da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) que absolveu o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, por ter sido condenado pelo juiz Sérgio Moro apenas com base em delações premiadas.

"Todos sabem, ou deveriam saber, que delação não pode ser usada como prova, serve para iniciar a investigação.O delator, em regra, mente, omite, protege e o pior se o delator for pego mentindo, terá direito ao recall, que é a oportunidade de " consertar" o que mentiu, o que omitiu, sem perder os benefícios", diz Kakay.

Segundo o advogado, o recall é o maior incentivo à corrupção da história. "O juiz Moro alegou que vários delatores falaram de Vaccari. Ou seja , irresponsavelmente, o que foi usado para condenar é uma delação que sustenta outra delação!!! Há tempos criticamos o uso indiscriminado da prisão preventiva", diz Kakay.

O criminalista avaliou também que após a operação LAva Jato, a prisão virou regra. "Fruto deste momento punitivo e opressivo que passamos. Sou de um tempo em as pessoas iam para rua pedir liberdade, hoje os jovens vão para pedir prisão. Que sociedade sairá destes excessos? Todos nós queremos o combate a corrupção, mas dentro do respeito as garantias constitucionais. O que se pergunta agora é se a prisão preventiva de Vaccari era necessária. E, principalmente,quem devolverá a ele os 2 anos e 2 meses que ficou preso.?!A enorme e humilhante exposição midiática , promovida pela Procuradoria e pelo juiz como parte de um programa de consolidar a lavajato, também fez danos irreversíveis a imagem, a família e aos amigos de Vaccari . Nada poderá devolver ao Vaccari a honra conspurcada. A sociedade que com razão esta cansada, esgotada de tanta corrupção, começa a se sentir assustada com tantos excessos, com tantos falsos heróis, com tantos abusos. É hora de reflexão e de reagir a estes absurdos", afirmou.





Brasil 24/7
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis cliente. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;