Antonio Augusto/ Câmara dos Deputados

O deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) ficou famoso no ano passado pela sua forte atuação na defesa do então colega e amigo pessoal, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ex-presidente da Câmara dos Deputados e hoje condenado a 15 anos por seu envolvimento em crimes apurados pela Operação Lava Jato.


Nesta quarta-feira, Marun recebeu outra missão: a de defender a imagem dos parlamentares e da Câmara. São essas as principais atribuições do cargo de procurador parlamentar, que o peemedebista assumiu, em substituição à deputada Jozi Araújo (PTN-RN). A indicação de Marun partiu do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

“Nós vivemos em um tempo de acusação fácil e de ofensa corriqueira. E nós, deputados, o somos em função de delegação popular e por isso faz-se necessário a exigência de respeito”, afirmou Marun ao assumir o cargo.

Outras funções do posto dizem respeito à “representação de parlamentares e da Câmara, como um todo, na defesa judicial ou extrajudicial de questões que afetem a honra de deputados e da Câmara”, complementou o deputado, que também foi notícia ao fazer uma “visita natalina” a Cunha, que está preso desde outubro em Curitiba.

Gaúcho de nascimento, Marun fez toda a sua carreira política em Mato Grosso do Sul. Atualmente ele preside a Comissão Especial da Reforma da Previdência.

Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;