O dado mais curioso – e preocupante para os nossos níveis de civilização – revelado pela pesquisa eleitoral da Confederação Nacional do Comércio é que, além de Lula, o único candidato que cresce é Jair Bolsonaro.

Ele cresce de 3,5% para 6,5% em quatro meses.

No cenário mais provável, com Marina e Aécio candidatos, Bolsonaro sai de 6,5% para 11,3%, com Ciro candidato, e de 7,9% para 12% sem o ex-governador do Ceará.

Muito longe de Lula, claro, que tem 30,5% e 32, 8%, em cada situação.

Mas está décimos atrás de Marina e de Aécio, que caem, enquanto ele sobe.

Os pesquisadores estratificaram o eleitorado de cada um, não por acaso.

Lula, claro, tem mais eleitores entre os mais pobres e com menos escolaridade, onde chega a 49,5%.

Mas impressiona o avanço de Bolsonaro entre os com mais dinheiro, mais educação e mais jovens.

Entre os que têm renda superior a 5 salários-mínimos, ele chega a 20,4%.

Nos que possuem nível superior, quase o mesmo: 20,7%.

É claro que pesquisas não devem merecer confiabilidade absoluta e nem poderiam ter, ainda tão longe das eleições.

Mas elas revelam indícios, tendências.

E não é absurdo que o quadro de histeria demagógica que se empurrou sobre o Brasil de desdobre numa loucura eleitoral.

30 anos atrás, o governo ilegítimo de José Sarney, também dono de maioria parlamentar, transformou em lixo eleitoral personagens muito mais respeitáveis que os tucanos. Ulysses Guimarães e Aureliano Chaves, dois conservadores que possuíam uma história política, viraram um zero eleitoral. Mário Covas, festejado pela mídia, não foi além de 10% dos votos.

Quem apareceu foi um aventureiro moralista chamado Fernando Collor de Mello.

De início, não era, mas passou a ser a esperança da direita, contra Brizola e Lula. E, com isso, o candidato da mídia e da classe média.

Bolsonaro não é Collor, nem é Moro. Mas encarna a tradução numa versão mais primitiva do que o primeiro despertou e o segundo desperta.

Eleitoralmente, pode ser bom para Lula e a direita só apostará em Bolsonaro se não tiver alternativa, como o “bundinha de neném” João Doria.

Mas, como marco civilizatório, uma imensa regressão para o Brasil.


TIJOLAÇO
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis cliente. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Gostou do Blog? Divulgue. Curta. Compartilhe. Colabore. Aproveite os preços baixos dos livros. AQUI Últimos livros Anunciados e AQUI Tabela de Preços Promocionais