Sua técnica e habilidade influenciaram as gerações futuras de artitas retratistas


Joshua Reynolds, pintor inglês, um dos principais retratistas do século 18, morre em Londres em 23 de fevereiro de 1792. Sua técnica e habilidade influenciaram as gerações futuras de pintores retratistas. As pinturas invocavam os valores morais clássicos. Habituado a pintar retratos de mulheres e crianças, seu estilo retratava muito as cores em fortes pinceladas.

Deixou sua marca em pinturas ricas que exibiam o luxo. Foi o primeiro presidente da Academia Real Inglesa, preocupando-se em divulgar a arte através dos seus trabalhos e pregações aos estudantes e membros da academia britânica.

Wikicommons // Joshua Reynolds influenciou geração de artistas retratistas

Nascido em Plymouth, em 16 de julho de 1723, dele se disse, talvez com um pouco de exagero, que foi o melhor pintor britânico de todos os tempos. O que não admite dúvida é sua condição de melhor retratista britânico da história.

O britânico estudou pintura em Londres de 1740 a 1743 com Hudson. Após um primeiro período de atividade em sua Devonshire natal, se mudou para a Itália, onde permaneceu de 1750 a 1752.

Wikicommons // Obra de Joshua Reynolds: pintor foi um dos principais retratistas da história

O estudo da pintura dos séculos 16 e 17 e também a dos clássicos que levou a cabo fundamentalmente em Roma resultou decisivo para a sua posterior evolução, em particular para a criação e desenvolvimento do que denominou “grand style”, que não é se não dotar os modelos de seus retratos de atitudes inspiradas em obras religiosas ou mitológicas do passado e adotar para as suas telas soluções cromáticas extraídas dos grandes mestres da pintura.

Quando um ano depois de estabelecer-se em Londres, em 1754, se deu a conhecer seu retrato de O Comodoro Keppel, a fama chegou de imediato. A partir de então teve oportunidade de retratar todas as grandes figuras da vida londrinense da época, de quem deu uma visão, personalizada, em que cada personagem resulta único. Sua perseverância no trabalho lhe permitiu pintar tal quantidade de retratos que chegou a acumular uma imensa fortuna.

Em virtude dessa condição, apesar de suas origens provincianas, moveu-se com soltura e dignidade entre as camadas mais altas da sociedade britânica, com o que contribuiu decisivamente para dignificar em seu país a figura do artista.

Com a fundação em 1768 da Royal Academy, foi o primeiro presidente da instituição. Ao dirigir a instituição dedicou-se a ela intensamente e em tempo integral já que o avanço da cegueira impediu-lhe de prosseguir em sua atividade artistica. São famosos os quinze discursos que pronunciou, expressão paradigmática da doutrina acadêmica.

Opera Mundi
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis cliente. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;