Everton Luiz, do Partizan Belgrado, sofreu insultos racistas por 90 minutos e deixou o campo chorando


PABLO CANTÓ

O goleiro Filip Kljajic abraça ao brasileiro Everton Ruiz ao final do jogo. AFP


Everton Luiz, jogador brasileiro do Partizan Belgrado, da primeira divisão daSérvia, terminou uma partida no último domingo aos prantos. Durante todo o jogo, a torcida da equipe adversaria, o Rad Belgrado, emitiu gritos imitando um macaco cada vez que o jogador tocava a bola. Seu time emitiu um comunicado condenando a atitude dos torcedores.O jogo terminou com vitória por 1 a 0 do Partizan.

Além dos gritos xenófobos, a partida teve que ser interrompida brevemente depois que os torcedores do Rad exibiram uma faixa com dizeres racistas contra o jogador, segundo informou a agência de notícias AFP. “Não consegui conter as lágrimas ao enfrentar insultos racistas durante os 90 minutos”, admitiu Everton Luiz, de 28 anos, após o jogo. No fim do confronto, o brasileiro foi até a arquibancada do Rad e fez um gesto mostrando seu dedo médio aos torcedores, o que provocou um tumulto entre os jogadores das duas equipes e lhe rendeu um cartão amarelo.



Foi aí que Everton Luiz começou a chorar. A imagem do meia, consolado pelo goleiro de seu time, não só apareceu nos jornais esportivos de todo o mundo, como também chegou à capa do site Reddit, onde gerou mais de 5.000 comentários em menos de 12 horas.

Everton Luiz e Filip Kljajic, após o término da partida. MIROSLAV TODOROVIC AP

Após o incidente, o clube onde joga o brasileiro – que venceu o jogo por 1 x 0 – emitiu um comunicado manifestando rechaço aos incidentes xenófobos. “O Partizan Belgrado se sente na obrigação de pedir desculpas por todos os danos provocados pelos gritos racistas”, afirma a equipe. “Condenamos veementemente os autores desses atos”.

No comunicado, o Partizan também elogia o papel de Everton Luiz no time. “É um dos melhores jogadores da equipe, e no último ano conquistou os corações dos torcedores, sobretudo por seu comportamento e sua atitude”, diz o texto.

Segundo a AFP, o estádio do Rad, onde foi realizada a partida, será fechado temporariamente como medida disciplinar por causa dos insultos. O fechamento deve durar até a Comissão Disciplinar da Liga de Futebol Sérvia adotar uma medida definitiva.

Outro jogador brasileiro, Dani Alves, viveu um momento semelhante na Espanha, em 2014. Em uma partida de seu time, o Barcelona, contra o Villarreal, uma banana foi arremessada para o jogador, em um gesto racista. Dias depois, o torcedor que fez o lançamento foi preso. Na ocasião, Dani Alves respondeu comendo a banana. “Já levo na brincadeira. Infelizmente, não podemos mudar isso, então é melhor ignorar. Assim eles não atingem seus objetivos”, disse ele, após o incidente.

Os gestos racistas no futebol não ocorrem só nos estádios da primeira divisão. Em janeiro, em um partido entre crianças de 10 a 12 anos em Zaragoza, na Espanha, os pais de dois jogadores insultaram o árbitro, Mamadou Sow, com palavras xenófobas. Acabaram presos e foram indiciados por crime de ódio.

EL PAÍS Brasil

Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário: