O gráfico aí de cima é adaptado do Valor, edição de hoje.

É a estimativa de quanto as multinacionais tirarão a mais de petróleo no Brasil ao final de 2017.

410 mil barris por dia, além dos 460 mil que tiram hoje, calculados ao preço de hoje do Brent, US$ 56,24, e com o dólar a R$ 3,23.


Em um dia, R$ 71 milhões. Em um ano, R$ 27,2 bilhões. Nos trinta anos de exploração de um campo, mesmo com a queda da produção média a 50%, mais de R$ 400 bilhões.

Mais que dobram sua participação e chegam a perto de 30% de todo o óleo produzido no Brasil, o dobro do que tinham ao final de 2015, enquanto a Petrobras permanece estagnada, praticamente.

Isso sem terem descoberto um mísero barril de petróleo: é prato feito, pronto, servido de bandeja.

Porque a exploração de um campo de petróleo toma cinco, seis, sete anos ou mais e eles chegaram agora.

Nem mesmo nos investimentos para tirar o tesouro vão deixar alguma coisa aqui, porque a política de conteúdo nacional está sendo demolida, inclusive nos investimentos da própria Petrobras.

Há uma história que conta que um perigoso “comunista” norte-americano, Abraham Lincoln, um dos líderes da explosão de progresso nos EUA com a política de expansão das ferrovias, ouviu de alguns técnicos que era melhor comprar trilhos na Inglaterra, que os vendia a 4 dólares, enquanto produzi-los localmente custaria 5. Lincoln respondeu que se custassem 7 dólares, ainda assim valeria a pena fazê-los lá mesmo: “vamos aprender a fazer bem e logo estaremos vendendo para o mundo inteiro”.

Quem acha que a Guerra da Secessão americana aconteceu só por conta da escravatura, engana-se: a briga começou pela política tarifária protecionista dos republicanos. Aliás, antes de ser republicano, Lincoln era whig, um grupo partidário com posições protecionistas e e modernizadoras.

Mas aqui proteger a indústria e a riqueza brasileiras é coisa de “esquerdopata”.

Não é uma política de parceria e cooperação com as estrangeiras, como seria adequado, remunerando com lucros os investimentos feitos aqui, é o abocanhamento daquilo que a Petrobras, com seu conhecimento e nosso dinheiro, descobriu, sondou, perfurou e colocou em condições de produzir.

É navio, sonda, tubos, equipamentos e tudo o mais comprados lá fora, emprego lá para fora, dinheiro lá para fora.

É isso, em números incontestáveis, os que os vendilhões deste país estão fazendo.Os bilhões da Lava Jato são um grão de areia.

E eles estão só começando, se não os pararmos.


TIJOLAÇO
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;